Publicado 26 de Novembro de 2012 - 22h07

Por Carlos Rodrigues

Além de fazer críticas, o meia Danilo Sacramento avisou que deixará o Guarani caso o comandante do time seja mantido em 2013

Leandro Ferreira/AAN

Além de fazer críticas, o meia Danilo Sacramento avisou que deixará o Guarani caso o comandante do time seja mantido em 2013

Se o clima no Guarani já não era dos melhores na reta final da Série B do Campeonato Brasileiro, o rebaixamento no sábado (24/11) foi o estopim para que os problemas se tornassem públicos. Quem tomou a iniciativa de jogar a “sujeira no ventilador” foi o meia Danilo Sacramento. Em resposta a uma suposta afirmação do técnico Vilson Tadei de que o elenco estava rachado, o jogador não mediu palavras e criticou duramente, nesta segunda-feira (26/11), o atual comandante.

Em entrevista às rádios de Campinas, Danilo declarou, entre outras coisas, que Tadei nunca dava palestra ou passava vídeos sobre os adversários e que o treinador precisa se reciclar. Também afirmou que ele não permitia o diálogo com os atletas e que se o técnico permanecer, ele deixa o clube, mesmo tendo contrato até o final do ano que vem. “Ele simplesmente ignorava e não tinha conversa. Mal me dava bom dia, mal olhava na minha cara. Não sei o que vai acontecer com a nova diretoria, mas, com a permanência do Vilson Tadei sendo mantida, o Danilo está fora”, falou o jogador à Rádio Brasil.

Para completar, o meia disse que ele, o volante Wellington Monteiro e o meia Fumagalli foram pedir ao diretor de futebol Roberto Constantino para que o treinador fosse retirado. Fumagalli, no entanto, desmentiu qualquer tipo de movimento dos jogadores. “Isso não teve (pedido pela saída). O Danilo é meu amigo, mas essa questão de tirar o treinador nunca existiu”, afirmou o meia ao Correio Popular.

Em poucas palavras, Vilson Tadei respondeu às acusações. “O que ele falou não muda em nada a maneira de eu trabalhar. Não é um jogador que vai ditar as normas de como eu trabalho.”

Quem não gostou nem um pouco das declarações de Danilo foi Roberto Constantino. O dirigente, que está se desligando do cargo, criticou o jogador. “Foi uma atitude lamentável. Ele foi muito infeliz nas declarações e inclusive falou inverdades. Em momento algum houve algum grupo de jogadores que se reuniu e me pediu a saída do técnico, tanto é que ele falou em nome de outros jogadores sem autorização e tenho certeza que essas pessoas não concordam com essas declarações”, disse o ex-dirigente.

“É normal para um atleta que é sacado do time ficar nervoso e aborrecido com o treinador. Mas ele saiu porque não estava jogando nada e toda a imprensa cobrava a saída dele. E isso não dá o direito que ele fale essas barbaridades. Se o Tadei não tem o perfil de treinador que o Guarani precisava, não é problema dele, é da diretoria”, completou Roberto Constantino.

Escrito por:

Carlos Rodrigues