Publicado 26 de Novembro de 2012 - 21h53

Por Carlos Rodrigues

Com apenas 19% de aproveitamento, Tadei não conseguiu recuperar um time que já não vinha bem nas mãos de Vadão

Thiago Leon/Especial para AAN

Com apenas 19% de aproveitamento, Tadei não conseguiu recuperar um time que já não vinha bem nas mãos de Vadão

A reunião que aconteceria, nesta segunda-feira (26/11), para definir os rumos do futebol do Guarani foi transferida para esta terça-feira (27/11), mas é praticamente certa a demissão do técnico Vilson Tadei. Álvaro Negrão, indicado para a presidência no grupo que deverá dirigir o Bugre em breve, afirmou que a decisão ainda não está concretizada, mas a tendência é pela mudança no comando técnico. O próprio treinador confirmou que dará uma entrevista coletiva na tarde desta terça.

Com apenas 19% de aproveitamento, Tadei não conseguiu recuperar um time que já não vinha bem nas mãos de Vadão. Ao contrário, o rendimento foi ainda pior. Quando assumiu, após a derrota para o América-MG, o Bugre era o 14º colocado, com 37 pontos, nove a frente do Bragantino, primeira equipe na zona do rebaixamento. Na estreia, um resultado animador — empate fora de casa diante do Atlético-PR. A partir dali os tropeços se sucederam e o Guarani, que parecia livre de qualquer risco de queda, começou a encostar nos últimos colocados.

Na partida diante do ASA — na única vitória sob seu comando — Tadei mexeu drasticamente no time e sacou peças até então intocáveis, como o lateral-direito Oziel, o meia Danilo Sacramento e o atacante Schwenck, que não atravessavam boa fase. As alterações, no entanto, não surtiram o efeito desejado e bastaram derrotas para Avaí e CRB para que o alviverde chegasse à última rodada sob risco. E dependendo de três pontos para escapar, o Guarani não conseguiu e amargou novo rebaixamento após a derrota em casa para o São Caetano.

Escrito por:

Carlos Rodrigues