Publicado 26 de Novembro de 2012 - 15h07

Por Agência Estado

Andrés Sanchez avisou nesta segunda-feira que vai deixar o cargo de diretor de seleções da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ele explicou que falta apenas comunicar o presidente da entidade, José Maria Marin, para formalizar sua saída do posto que ocupa desde o começo do ano.

 

"A tendência é essa mesma (sair do cargo), só falta conversar com o presidente (Marin), porque quero conversar com ele antes de sair", disse Andrés, após participar nesta segunda-feira da abertura da Soccerex, feita de negócios do futebol, que acontece no Forte de Copacabana, no Rio.

 

A saída de Andrés tem relação direta com a demissão do técnico Mano Menezes na última sexta-feira. Ele não concordou com a troca de comando da seleção brasileira, mas teve que aceitar a decisão de Marin sobre o caso. Assim, ficou contrariado e desprestigiado, optando agora por ir embora.

 

Ex-presidente do Corinthians, Andrés foi contratado no final do ano passado, quando a CBF ainda era comandada por Ricardo Teixeira. Ele se manteve no cargo de diretor mesmo quando Marin assumiu a presidência em março, mas a demissão de Mano parece ter criado um desgaste insuperável.

 

Chateado com a suposta falta de prestígio no cargo, o dirigente chegou a dizer nesta segunda-feira que tem ouvido que Luiz Felipe Scolari já estaria "apalavrado" para assumir a seleção. Mas Andrés garantiu que não foi comunicado de nada sobre isso e que não sabe quem será o substituto de Mano.

 

Ao anunciar a sua saída do cargo de diretor de seleções, Andrés também indicou que está disposto a concorrer à presidência da CBF em 2014, quando acaba o mandato de Marin. "Saindo (do posto que ocupa atualmente), eu vou tentar renovação total (na entidade)", avisou o dirigente.

Escrito por:

Agência Estado