Publicado 23 de Novembro de 2012 - 14h58

Por Paulo Santana

O lateral-direito Cicinho, de 24 anos,  ganhou aumento de salário na Ponte Preta

Cedoc/RAC

O lateral-direito Cicinho, de 24 anos, ganhou aumento de salário na Ponte Preta

Apesar do intenso assédio de seis clubes nos últimos dias, o lateral-direiro Cicinho decidiu permanecer na Ponte Preta. Nesta sexta-feira (23/11), ele confirmou a nenovação de seu contrato com o clube do Estádio Moisés Lucarelli até o final de 2015. E para acabar de vez com as especulações, teve a cláusula compensatória (antiga multa contratual por quebra de contratro) aumentada de R$ 3,5 milhões para R$ 6 milhões e recebeu um considerável aumento salarial.

A multa, na verdade, é o valor mínimo estipulado pela diretoria para abrir qualquer negociação sobre uma futura transferência. "Com este acerto, a Ponte Preta quer por fim às especulações e declara que não existe qualquer possibilidade de o Cicinho deixar o clube, pelo menos, até o final de 2013" , taxou o executivo de futebol Ocimar Bolicenho.

Cicinho destacou que o "projeto apresentado pela diretoria" pesou mais que qualquer dinheiro no momento da decisão. "As propostas que recebi eram boas, mas a ideia de lutar para ser campeão paulista no ano que vem foi mais interessante. Estou muito bem aqui. Quero fazer parte da história deste clube. Deixar aqui uma foto minha como campeão" , garantiu.

O procurador de Cicinho, Ivan Freitas, confirmou ter recebido dezenas de trelefonemas de times interessados, mas nada seduziu mais do que a oferta pontepretana. "Antes de tudo, o que vale é a opinião do atleta. O Cicinho está feliz aqui na Ponte, vem passando por uma fase crescente em sua carreira. Escolheu o melhor. Foi uma decisão sábia de todos os lados" , afirmou.

VALORIZAÇÃO

Poucos jogadores tiveram tanta valorização no Campeonato Brasileiro como Cicinho. No final do ano passado, veio do Brasiliense com 20% dos direitos comprados pela Ponte por uma quantia simbólica. Fez um contrato de risco e caso fosse aprovado ao final do Paulistão, a Macaca pagaria mais R$ 300 mil por mais 30% dos direitos.

Em maio, um novo acordo foi fechado e o compromisso se estendeu para maio de 2015. Com o negócio desta sexta, o contrato se ampliou novamente, desta vez, por mais sete meses. Em troca, a Ponte agora passar a ter a maior parte nos direitos do atleta de 24 anos, que começou a carreira em uma escolinha na periferia de Belém, no Pará.

Antes da Ponte, Cicinho jogou dois anos pelo Remo, seis meses pelo Juventude e dois anos pelo Brasiliense. "Neste período, o que mudou na minha vida foi a valorização. Estou muito feliz aqui na Ponte e confiante que faremos um ano ainda melhor em 2013" , encerra.

Escrito por:

Paulo Santana