Publicado 09 de Novembro de 2012 - 23h03

Jovem passa por piscina onde morador de rua morreu na tarde de segunda, quando o Clube Municipal de Chico Mendes estava fechado

Edu Fortes/AAN

Jovem passa por piscina onde morador de rua morreu na tarde de segunda, quando o Clube Municipal de Chico Mendes estava fechado

O secretário Caio Carneiro Campos afirmou sexta-feira (9) em coletiva à imprensa que a Secretaria de Esporte e Lazer de Campinas está falida e em situação caótica. “Passamos por uma crise política sem precedentes e a cidade viveu com uma ausência total de manutenção nos prédios públicos nas últimas três gestões. A situação (de abandono) das praças públicas é notória e isso é o resultado do descaso”, disse.

Mesmo após a morte por afogamento de um homem que invadiu a piscina do Clube Chico Mendes na última segunda-feira, ele afirmou que não há como melhorar a segurança nas praças de esporte. Hoje, apenas sete das 32 praças têm vigilantes. Segundo Campos, cabe à Chefia de Gabinete gerenciar o contrato dos vigilantes. “Não tenho dúvidas de que o contrato é gerenciado da melhor forma possível, mas não tem como designar mais vigias para o Esporte”, afirmou.

Apesar da situação caótica em que o setor se encontra, quem consulta a página da Secretaria de Esportes no site da Prefeitura tem uma ideia equivocada sobre a situação. Na página, todas as praças têm uma relação de atividades físicas — como natação, hidroginástica, basquete, vôlei e até dança de salão — que seriam oferecidas à população, mas o secretário reconhece que não há professores de educação física em todos os locais. “Não fui eu quem atualizou o site”, afirmou, ao ser questionado sobre a diferença entre as informações divulgadas e as aulas disponíveis.

A pasta conta com 30 professores de educação física. Eles têm que atuar nas 32 praças esportivas, no Ginásio do Taquaral e no Centro Esportivo de Alto Rendimento. “Não há um funcionário para cada praça, não tem como desenvolver atividades assim”, admitiu Campos. Segundo o secretário, para fazer um trabalho a contento, cada praça deveria contar com dois professores e quatro estagiários.