Publicado 07 de Novembro de 2012 - 20h18

Motoristas tiveram dificuldades de voltar para casa nesta quarta

Rodrigo Zanotto/Especial para AAN

Motoristas tiveram dificuldades de voltar para casa nesta quarta

A forte chuva que atingiu a Região Metropolitana de Campinas na tarde desta quarta-feira (7) acompanhada de granizo, ventos e raios causou alagamentos, destelhamentos, falta de energia e atrasou a volta para casa de milhares de motoristas, que ficaram parados nos congestionamentos.

Em Campinas, em apenas uma hora, choveu 2,7 milímetros no município, segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

De acordo com a Defesa Civil, choveu granizo na região do Ouro Verde. "Foi mais vento, granizo e raio do que chuva, mesmo. Às 15h20, as rajadas de vento chegaram 43,4 quilômetros por hora na região Norte, 31 km/h na região Sudoeste e 36 Km/h na região Noroeste", informou Sidnei Furtado, diretor-regional do órgão.

O temporal foi provocado pela aproximação de uma frente fria, que deve provocar mais chuvas nesta quinta-feira (8) e derrubar as temperaturas.

A chuva também destelhou casas no bairro Paraíso de Viracopos. Um dos casos foi registrado na Casa da Sopa, entidade que atende cerca de 300 famílias carentes.

Segundo D. Benedita Franco de Camargo, idealizadora da casa, o vendaval estourou a calha e destruiu o telhado da entidade, que ficou alagada.

"Por sorte, os mantimentos estavam no alto, mas todo o material de escritório ficou molhado e o telhado ficou destruído. Vamos verificar os estragos amanhã (quinta-feira)" , disse D. Benedita.

A chuva também provocou ao menos cinco alagamentos na cidade e deixou semáforos de vários cruzamentos apagados.

A Avenida Dr. Heitor Penteado alagou na altura do Kartódromo, no Taquaral, os motoristas foram orientados por agentes da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) para desviarem pela Rua Machado de Assis, no Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, seguirem pela Professor Alcino de Almeida Maudonnet até o final e, depois retornarem para a Heitor Penteado.

A Emdec também registrou pontos de alagamento na Avenida Barão de Itapura, junto à Rua Delfino Cintra, no Botafogo; e na Engenheiro Vital Vetorazzo, na altura da Avenida das Amoreiras, no Jardim do Lago.

A Avenida Prefeito Magalhães Teixeira, no entorno do Córrego Piçarrão, e a Avenida Imperatriz Leopoldina, na Vila Nova, também ficaram alagadas.

Os semáforos desligaram na Avenida Brasil, esquina com a Orosimbo Maia, no Centro; na Paula Bueno, no cruzamento com a Baronesa Geraldo de Resende, no Taquaral; e na Orosimbo Maia com a José de Souza Campos (Norte-Sul), no Novo Cambuí. Em todos os cruzamentos, agentes de mobilidade urbana orientaram o trânsito, segundo a Emdec.

Uma parte do Campinas Shopping também foi invadida pela água da chuva e atrapalhou o movimento de clientes por alguns minutos. Segundo o shopping, a manutenção no local foi feita rapidamente e as lojas funcionaram normalmente depois que o piso foi seco.

Quase 30 mil imóveis ficaram sem energia por cerca de 2 horas e meia no fim da tarde por causa das chuvas e das descargas atmosféricas.

Segundo a CPFL Energia, as interrupções foram provocadas, em sua maioria, por objetos lançados na rede elétrica pelos ventos e pelos raios. A previsão para retorno do serviço é de 90 minutos.