Publicado 07 de Novembro de 2012 - 17h38

Os juízes do trabalho da 15ª Região fazem uma greve temporária durante esta quarta (7) e quinta-feira (8). A categoria também realiza uma mobilização desde as 12h desta quarta no Fórum Trbalhista, na Av. Engenheiro José de Souza Campos, conhecida como Norte-Sul, em Campinas. Segundo a Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 15ª Região (Amatra-15), o objetivo do movimento é chamar a atenção do Conselho nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal para a desvalorização salarial da categoria.

Os magistrados de sets das 12 varas do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) aderiram ao movimento de paralisação. O TRT-15 é o responsável pelos processos de 599 cidades do interior do Estado de São Paulo.

Ainda de acordo com a Amatra-15, a categoria sofreu perdas remuneratórias de 28,86% desde 2005, quando foi implantado o subsídio em parcela única.

Apesar da paralisação, os juízes estarão nos fóruns durante os dois dias de paralisação para atender a população em casos de urgência para conciliação.

A mobilização desta quarta-feira também teve a adesão dos juízes federais, representados pela Associação dos Juízes Federais do brasil (Ajufe).

Semana Nacional de Conciliação

Os magistrados que aderiram à greve parcial também não participarão da Semana Nacional de Conciliação como forma de protesto. A decisão deve afetar diretamente o evento, uma vez que, segundo a Amatra, entre 60 e 70 unidades, das 153 existentes, aderiram à paralisação.

O evento tem início nesta quarta (7) e acontece até o próximo dia 14 de novembro. Os processos de conciliação serão retomados após o dia 14 de novembro.

 

No site da Amatra, o presidente da Associação, Guilherme Guimarães Feliciano afirmou que "o teto moralizador do funcioamento público foi aprovado com o maciço apoio da Magistratura nacional, que se resignou com a perda de inúmeras parcelas remuneratórias àquele tempo, como o adicional de tempo de serviço e as gratificações de função ou atividade".

Ainda de acordo com a nota, Feliciano está em contato permanente com os juízes da 15ª Região eque fará tudo para que o movimento afete minimamente os interesses da população.