Publicado 07 de Novembro de 2012 - 10h07

Jovem passa por piscina onde morador de rua morreu na tarde de segunda, quando o Clube Municipal de Chico Mendes estava fechado

Edu Fortes/AAN

Jovem passa por piscina onde morador de rua morreu na tarde de segunda, quando o Clube Municipal de Chico Mendes estava fechado

Um homem morreu afogado na tarde de segunda-feira na piscina semiolímpica do Clube Municipal Chico Mendes, no bairro Gênesis, em Campinas. O morador de rua, que nadava com outros dois homens, se afogou por volta das 16h. Não havia salva-vidas ou vigilante no local para prestar o socorro e impedir a entrada do trio no clube, que fica fechado para manutenção toda segunda-feira. A vítima foi idenficada por amigos como Reginaldo Vieira, com idade aproximada de 38 anos. Ele não tinha documentos.

O clube, que foi inaugurado em 2010 e custou R$ 45 milhões (R$ 35 milhões pelo Programa de Aceleração de Crescimento-PAC, do governo federal, e o resto pela Prefeitura), foi tema de uma série de reportagens do Correio no início do ano por estar abandonado e sem salva-vidas. Na época, a Prefeitura informou que tinha contratado salva-vidas e melhorou a manutenção no local. Passados dez meses, a situação de abandono voltou a imperar no espaço.

Além da falta de vigilante, o alambrado que cerca a piscina está estourado. “Essa é uma tragédia anunciada. O jornal deu a reportagem e no começo do ano nos reunimos com a secretário Caio (Carneiro Campos, de Esportes e Lazer), mas ele disse que não tinha dinheiro para colocar vigias e construir um muro fechando o acesso à piscina”, afirmou William Gonçalves Martins, presidente da Associação dos Moradores do Residencial Gênesis.

A piscina está tão abandonada que, nos últimos dias, somente moradores de rua tiveram coragem de entrar na água. Na tarde de segunda-feira, três moradores decidiram se refrescar na piscina. Por volta das 16h dois deles saíram para buscar mais bebida alcóolica. Eles disseram à polícia que, quando retornaram, não encontraram o colega, que era conhecido de vários moradores do bairro. O Corpo de Bombeiros foi acionado mas o corpo só foi retirado da piscina por volta das 22h30.

Preocupação

Os pais de crianças que moram nas imediações estão preocupados porque o acesso à piscina é livre. “Qualquer criança pula esse alambrado quebrado. É preciso construir um muro. Vão esperar o que agora? Morrer uma criança?”, questiona a autônoma Marta Rita Forte.

A dona de casa Erica Silva tem dois filhos e disse que desde que a piscina ficou suja não deixa mais os pequenos usarem. “Tenho uma piscina e um parquinho em frente de casa, mas não dá para usar”, lamentou. A piscina está com a água verde, faz 15 dias que não há limpeza, segundo os moradores. “O motor está quebrado e não tem um funcionário destinado à manutenção da piscina e a prefeitura proibiu os salva-vidas de limpar o espaço”, afirmou Martins.

O clube está sujo e o mato cresce no playground. “Faltam funcionários para a limpeza, tem uma pessoa na área administrativa, um para o campo e o salva-vidas. Falta gente para cuidar das outras áreas do clube, que tem ainda um ginásio”, disse Marta.

Ontem, durante a manhã, o enorme ginásio poliesportivo construído no local estava repleto de crianças, mas não havia um professor de educação física para dar aulas. O clube é a única opção de esporte e lazer de que os moradores da região do Parque Anhumas dispõem. Segundo relato de usuários e do presidente da associação de moradores, há dois professores destacados para atuar na unidade. “Eles vêm aqui e cumprem horário, mas não dão aulas. Colocam os estagiários para trabalhar no lugar deles e não fazem nada. Isso é proibido”, denuncia uma pessoa ligada à Secretaria de Esporte.

Prefeitura aguarda apuração 

A Secretaria de Esportes informou que o salva-vidas trabalha de quarta a domingo e que o clube fica fechado às segundas e terças para manutenção. Segundo a assessoria de imprensa da pasta, a bomba usada para a limpeza da piscina deve ser consertada num prazo de 15 dias.

Mas não há previsão para que um vigia seja contratado. A justificativa é que não há verba para o pagamento. Em nota, a Prefeitura informou que lamenta o caso e aguarda a apuração dos fatos e o detalhamento, por parte da perícia técnica, das circunstâncias em que o acidente aconteceu, para emitir um posicionamento oficial. Ainda de acordo com a Administração, o caso ocorreu às 23h, quando o local estava fechado (esse, porém, foi o horário de retirada do corpo pelos Bombeiros). Hoje, o ginásio será reaberto à população e a piscina permanecerá fechada para troca da bomba que aciona o filtro.  

Saiba Mais 

O Clube Municipal Chico Mendes tem uma área de 20 mil metros quadrados. Além da piscina semiolímpica, o espaço tem ginásio poliesportivo coberto com arquibancada para acomodar duas mil pessoas e um campo de futebol com refletores, arquibancada para cinco mil pessoas, vestiários, banheiros, cantinas e setor administrativo. O local sedia partidas do campeonato amador, mas conta apenas com um funcionário para a faxina, outro para o setor administrativo, um salva-vidas e uma pessoa que cuida do campo de futebol.