Publicado 29 de Novembro de 2012 - 8h59

Jefferson Gois fez o exame este ano, quando não houve promessa:

Rodrigo Zanotto/Especial para a AAN

Jefferson Gois fez o exame este ano, quando não houve promessa: "Não concordo com a premiação"

Um ano depois de prometer premiar com cerca de 12 mil notebooks os alunos da 3ª série do Ensino Médio da rede estadual que tivessem o melhor desempenho na prova do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), a Secretaria de Estado da Educação ainda não entregou os computadores aos estudantes. A nota individual dos participantes do Saresp 2011 também não foi divulgada. Professores e alunos estão frustrados. Muitos dizem que perderam a esperança de receber o prêmio. De acordo com a pasta, os computadores devem ser entregues em dois meses.

Hellen Carolliny Ribas, de 18 anos, que atualmente cursa o 1º ano de Direito, conta que ouviu da direção da escola a promessa. “Quando fiz a prova tinha esperança de ganhar. A turma toda também ficou animada, mas depois que acabou o ano não tivemos contato com a escola e a nota nem foi divulgada. Nem fui mais atrás também”, disse. A estudante Ana Paula Oliveira, de 18 anos, também perdeu as esperanças. “Acho que desistiram de entregar e que não vamos mais receber”, disse.

Os estudantes não foram os únicos a ficar na expectativa da premiação. Os professores também sentiram a necessidade de saber como foi o desempenho de seus alunos. “Eu senti muito porque nós professores também estávamos esperando os resultados para conhecer o desempenho dos nossos alunos, mas nem a escola teve acesso ao boletim individual deles. Era importante até para uma discussão do trabalho interno dos professores, uma troca de experiências para saber como vai o desempenho dos alunos do período noturno em relação ao diurno e para planejar o nosso trabalho”, lamentou um professor, que preferiu não se identificar.

Em março, o governo chegou a divulgar o resultado do Saresp, mas apenas com a média da escola, do município e da diretoria de ensino. De acordo com Eduardo Martins Rosa, diretor da Apeoesp Campinas, alguns estudantes e pais chegaram a recorrer ao sindicato para perguntar sobre os computadores. Mas ele explicou que o sindicato é contrário ao Saresp nos moldes em que é feito hoje. “Não somos contra a avaliar o sistema. Mas do jeito que está hoje é atrelado à bonificação e somos contrários a isso. Porém, consideramos grave o fato do governo prometer e não entregar”, afirmou.

A edição deste ano do Saresp foi aplicada terça-feira e ontem. Na região de Campinas, ao todo 359.879 estudantes fizeram o exame, sendo 229.015 de 804 escolas estaduais. Jefferson Felipe Gois, 17 anos, aluno do 3º Ensino Médio da Escola Estadual Dom Barreto participou da prova e disse que este ano não fizeram promessa. “Também não concordo com premiação porque é uma forma de estimular o estudante a participar só pelo prêmio e não pelo valor real, da educação. Eu fiz e faria Saresp numa boa sem promessa de prêmios porque é uma forma de medir como está a educação pública”, afirmou.