Publicado 27 de Novembro de 2012 - 23h49

A suçuarana, após ser capturada; suspeita de que há filhotes na mata

Sérgio Ferreira/Divulgação

A suçuarana, após ser capturada; suspeita de que há filhotes na mata

Uma onça suçuarana morreu após ser retirada pelo Corpo de Bombeiros de dentro do galinheiro de uma fazenda no distrito de Sousas, em Campinas, na manhã desta terça-feira (27).

O animal, que está na lista das espécies em extinção, foi recolhido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e passará por necrópsia para analisar a causa da morte.

Segundo o órgão, a onça era fêmea e teve filhotes há pouco tempo, que podem morrer se não forem encontrados rapidamente.

O Corpo de Bombeiros foi acionado pelos seguranças da fazenda por volta das 3h30. Três homens fizeram o resgate, que terminou por volta das 7h.

Eles lançaram a rede e colocaram o felino dentro de uma gaiola. A onça, que segundo os bombeiros estava acuada e um pouco irritada, mas não tinha ferimentos, foi levada à base da Polícia Ambiental e um veterinário foi chamado para avaliá-la, mas ela se deitou e morreu logo em seguida.

“Sabemos que outros animais da fazenda já haviam sido atacados, provavelmente por ela”, comenta o tenente da Polícia Ambiental Fábio da Nóbrega. “Agora o laudo deve dizer se ela tinha alguma doença, de que se alimentava e a causa da morte.”

De acordo com a analista ambiental da ICMBio Márcia Gonçalves Rodrigues, o animal era adulto, com cerca de 2 anos de idade, não estava chipado e a espécie tem cerca de três filhotes por cria.

O órgão tenta montar uma equipe de busca e conseguir um aparelho para emitir os sons da onça, para que os bebês se manifestem e sejam localizados.

“As mães escondem bem os filhotes e não vão muito longe para caçar”, explica a especialista. “Eles ficam quietinhos e podem morrer de fome se não forem encontrados.”

Márcia afirma que não há uma população grande desta espécie, mas que este ano já foram resgatados dois animais atropelados em estradas da região. A necrópsia será realizada nesta quarta-feira (28) e o órgão pedirá urgência no laudo, que leva até 48h para sair.