Publicado 27 de Novembro de 2012 - 16h18

Por Delma Medeiros

Inauguração é adiada

Leandro Ferreira/AAN

Inauguração é adiada

A tão esperada reinauguração do teatro Castro Mendes foi novamente adiada. Desta vez por motivos técnicos, conforme o secretário de Infraestutura Dirceu Pereira Júnior. "Estávamos programados para iniciar hoje (27) os testes de iluminação, som, ar condicionado, cenografia. Mas a CPFL não fez ainda a ligação da linha da rua com a nova cabine técnica, que passou dos antigos 300 kwa para 750 kwa, para atender todas as demandas dos espetáculos", explicou o secretário, frisando que são necessários entre quatro e cinco dias de testes com todos os equipamentos funcionando ao mesmo tempo. "É uma questão de segurança. Não podemos abrir as portas sem os testes devidos para não colocar em risco a integridade física do público e artistas", afirmou Pereira. Em nota oficial, a CPFL informou que fará a ligação quarta-feira, dentro do prazo estabelecido com a prefeitura.

A reabertura com concerto da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (OSMC) prevista para esta sexta, dia 30, foi transferida para o dia 5 de dezembro. Com isso, a agenda da primeira semana precisou ser alterada. "Para a Secretaria de Cultura é um grande desgaste ter que mexer na agenda. Não reabrir na data prevista é frustrante, claro, mas não podemos insistir quando se trata de segurança", disse a secretária de Cultura Renata Sunega. "Até ontem estava tudo certo para a inauguração dia 30. Hoje pela manhã fomos informados do problema .Ainda nem conversamos com todos os grupos agendados para esta primeira semana. Vamos ver como fazer para prejudicar o mínimo possível os envolvidos", afirmou Renata.

Pela programação, a Sinfônica faria duas apresentações, dia 30 para convidados e dia 1º de dezembro aberta ao público, com distribuição de convites. Na sequência, ocupariam o palco do teatro, pela ordem, o espetáculo Meu Amigo Raul, do grupo Teatro de Pano, com direção de Ton Crivelaro; Bossa...Eternamente Nova, com Fernando Curti; Um Mais Um - Do Gesto à Música e da Técnica à Dança, com alunos do Conservatório Carlos Gomes e direção de Ruben Terranova; e a trilogia grega Oréstia, do grupo Rotunda, com direção de Teresa Aguiar.

De 6 a 19 de dezembro, as datas estão reservadas para o festival da Associação Campineira de Escolas de Dança (Aced); e dias 20 e 21 entra em cena o balé Quebra-Nozes, com as companhias Dança e Cidadania e Cia. de Dança de Campinas. Como a academia Ballet & Cia abriu mão de suas datas, foi possível remanejar o espetáculo do Conservatório e Oréstia, respectivamente para os dias 17 e 18. "Os dois grupos aceitaram a mudança de datas. Agora os outros dois ainda estão indefinidos. Vamos ver se conseguimos encaixar ainda este ano", disse Renata.

A secretária também explicou que está discutindo com o maestro Victor Hugo Toro e o diretor administrativo da OSMC, Marco Padilha, a possibilidade de fazer duas apresentações da Sinfônica no dia 5, mantendo o mesmo esquema de uma para convidados e outra aberta. "Se isso não for possível, devido a agenda dos solistas, vou discutir com o prefeito Pedro Serafim, mas acho importante fazermos um evento aberto na reabertura", afirmou. Padilha disse que por enquanto não há nada definido. "Estou acertando agora com a secretária como vai ficar a questão. Não posso adiantar nada ainda."

Escrito por:

Delma Medeiros