Publicado 26 de Novembro de 2012 - 8h11

Por Maria Teresa Costa

Saguão do Aeroporto Internacional de Viracopos lotado de passageiros

Flávio Grieger/AAN

Saguão do Aeroporto Internacional de Viracopos lotado de passageiros

O início da gestão da nova concessionária do Aeroporto Internacional de Viracopos está atraindo novos serviços para o terminal aeroportuário de Campinas e, a partir de dezembro, novas lojas, cafés, restaurante, locadoras de veículos, agência de turismo, duas linhas especiais de ônibus e até uma sala VIP começarão a funcionar.

A concessionária Aeroportos Brasil Viracopos informou que os contratos com os permissionários têm previsão de assinatura para o dia 1º e que também está reativando alguns antigos contratados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o que permitirá a instalação de novos estabelecimentos na praça de alimentação.

Os novos serviços permitirão aumento das receitas do aeroporto, fundamental para a concessionária fazer os investimentos necessários a cumprir o cronograma de contrato, que inclui a entrega, em maio de 2014, de um terminal para atender uma demanda anual de 14 milhões de passageiros.

Haverá, na primeira fase de expansão de serviços, a implantação de um quiosque da loja de óculos e acessórios Chilli Beans, que deve ser inaugurada dia 15, mesma data em que começará a funcionar um quiosque das Havaianas. Três lojas do Frans Café, além das locadoras de veículos Hertz e Avis, da agência de turismo e assistência ao passageiro BB Tur, o serviço de proteção de bagagem, o Protect Bag e uma unidade do restaurante Romana têm previsão de instalação entre dezembro e janeiro.

A partir de janeiro, informou a concessionária, começará a funcionar o Airport Service — serão duas linhas de ônibus geridas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). Uma vai operar entre Indaiatuba, Viracopos e região central de Campinas, e outra entre Paulínia, Barão Geraldo e Viracopos.

A sala VIP será instalada pela concessionária entre janeiro e fevereiro, no saguão de embarque internacional. Será um espaço exclusivo para passageiros de voos internacionais. A concessionária trabalha com a possibilidade de implantar o free shop até o final do ano.

A Dufry, que opera free shop em vários aeroportos brasileiros, será a responsável pela área, em Campinas. Essa empresa venceu uma licitação feita pela Infraero, no ano passado, mas não pode iniciar a operação porque a Receita Federal questionou a licitação, por considerar irregular a concorrência que foi feita por meio de pregão presencial, quando deveria ter seguido o modelo tradicional.

A ausência de uma área de venda de produtos importados levou a TAP a ameaçar deixar Viracopos porque os passageiros internacionais não querem desembarcar no aeroporto de Campinas. Embarcar por Viracopos e desembarcar em Guarulhos torna a operação antieconômica para a empresa.

A área para instalação do free shop já está pronta. No embarque, ela terá 87 metros quadrados e no desembarque, 237 metros quadrados. Deverão ser comercializados, no mínimo, produtos como perfumes, cosméticos, artigos de cine-foto-som-video, óculos, relógios eletrônicos, artigos esportivos, produtos de tabacaria, bebidas, alimentos, embalados e brinquedos. Nos free shop, os passageiros que desembarcam de voos internacionais podem comprar até US$ 500,00; já no embarque para outros países não há limite de gastos. Ao voltar, no entanto, o passageiro brasileiro precisa declarar todos os bens adquiridos (tanto no free shop de embarque quanto as compras no Exterior) e pagar imposto de 50% sobre o que exceder US$ 500,00.

Escrito por:

Maria Teresa Costa