Publicado 25 de Novembro de 2012 - 14h59

Totem informativo sobre a febre maculosa no Bosque dos Jequitibás, em Campinas

Carlos Bassan/ Prefeitura de Campinas

Totem informativo sobre a febre maculosa no Bosque dos Jequitibás, em Campinas

Técnicos da Secretaria de Saúde de Campinas intensificam a partir desta semana o trabalho de prevenção da febre maculosa principalmente nos distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Em 2012 foram registrados cinco casos da doença em Campinas, com três mortes. 

A febre maculosa brasileira é uma doença infecciosa, transmitida pelo carrapato estrela contaminado pela bactéria. Os sintomas são febre alta, mal estar, dor no corpo e, em alguns casos, manchas vermelhas na pele. Eles podem aparecer de dois a 14 dias após o contato com o carrapato infectado.

Os agentes irão visitar chácaras e casas da zona rural de Joaquim Egídio. As visitas serão feitas sempre às quartas e quintas-feiras, com o objetivo de orientar a população sobre a febre maculosa.  Placas de alerta serão colocadas nas áreas consideradas de risco e nas trilhas dos dois distritos, além da distribuição de folhetos explicativos sobre a doença nas áreas urbanas de Sousas e Joaquim Egídio.

 

Folhetos também serão distribuídos nos restaurantes e áreas de lazer dos distritos. A Prefeitura de Campinas está instalando totens em lugares estratégicos da cidade para alertar a população sobre a doença. Eles foram instalados  Sousas, Joaquim Egídio, Barão Geraldo, Centro de Convivência, Largo do Pará, Bosque dos Jequitibás e Avenida das Amoreiras.