Publicado 25 de Novembro de 2012 - 13h52

Mosquito da dengue

Cedoc

Mosquito da dengue

O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) da Prefeitura de Campinas está intensificando as ações de combate à dengue em razão da  Semana Nacional de Combate à Dengue. A recomendação é que a população fique mais atenta porque para esse verão um novo subtipo da doença, o DENV 4, está circulando. Este subtipo não é mais grave que os outros três, mas se acometer alguém que já tenha sido vítima de outro subtipo, as chances de complicações são altas. Quando a pessoa contrai um tipo de dengue, fica imune a ele depois de curada. Mas, se a pessoa contrair outro subtipo, existe o risco maior da doença se apresentar de maneira mais grave, a dengue hemorrágica. 

Como Campinas teve epidemias pelos vírus DENV 1, 2 e 3, muitas pessoas já adquiriram imunidade natural a estes sorotipos. Com um novo vírus circulando, uma pessoa que já teve outro sorotipo de vírus pode contrair novamente a doença e com um risco maior.

Ele foi diagnosticado pela primeira vez na cidade desde a reintrodução do vírus no Brasil, na década de 1990.

Neste sábado (24/11) técnicos do departamento fizeram um arrastão para remover possíveis criadouros do mosquito aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue, nos bairros Vila Vitória e Jardim Novo Flamboyant. A população foi orientada, com a distribuição de material educativo, sobre os hábitos do mosquito e principalmente sobre como evitar sua proliferação, melhor método para prevenir a doença. A ação envolveu 15 profissionais, sendo 11 do setor de Saúde e 4 do Departamento de Limpeza Urbana (DLU). Foram recolhidos três caminhões entre latas, plásticos e outros criadouros removíveis. 

CUIDADOS

As caixas d´água devem estar totalmente vedadas, é necessário fechar bem os sacos plásticos utilizados para acondicionar lixo e manter a lixeira tampada, além retirar a água parada das lajes e não deixar materiais expostos nos quintais que permitam acúmulo de água.

Não deixar a água acumulada nos suportes dos vasos de plantas e evitar o acúmulo de pneus nos quintais também são orientações já difundidas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Municipal de Saúde.

Em 2012 Campinas registrou uma queda de 70% no número de casos em comparação com o mesmo período no ano passado. Até outubro, foram 941 casos, contra 3.136 no mesmo período do ano passado. Em 2011 foram registrados 3.178 casos.