Publicado 11 de Novembro de 2012 - 5h00

Arranjos florais

Divulgação

Arranjos florais

Uma luminária cravejada de antúrios, uma estante de vidro com suportes de troncos, flores de hastes gigantes que pendem do teto em forma de spots. E tudo natural, nada de plástico.  Essas são algumas das aplicações do design floral contemporâneo, um estilo que une plantas e estruturas e que se desenvolve para acompanhar avanços tecnológicos e de tendências.

Arranjos floraisNesse campo, menos é sempre mais. A frase que se tornou um chavão no mundinho da moda, também é um dos conceitos básicos nessa tendência. Palavra do decorador holandês Marcel van Dijk (ao lado), um dos mais importantes da atualidade, que esteve recentemente em Holambra, ministrando workshop na Floral Design Brasil.

“Você não precisa sair colocando flores em todos os cantos. Às vezes, é melhor tirar algumas coisas do caminho e usar apenas um vaso bem iluminado”, explica o especialista.

Porém, antes de colocar a mão na massa ou escolher esse ou aquele estilo, o importante é entregar-se ao processo criativo. “É preciso se dedicar com paixão e se divertir com o que está fazendo. Sem esses sentimentos, a decoração perde o sentido”, avalia. A decoração deve ser pensada também para que seja apreciada, não apenas pelo autor. “Aquilo que é feito com amor e dedicação tem beleza. Quando fazemos um arranjo é preciso ter em mente que ele também ficará belo para que os outros possam apreciá-lo” explica. 

Para van Dijk, a riqueza da flora brasileira é o principal aliado de quem pretende se dedicar a arte de arranjar flores com maestria.

“O Brasil tem uma flora incrivelmente rica, muito mais do que a Holanda, que tem apenas tulipas. Aqui há uma abundância de material maravilhoso para trabalhar”, afirma. Apesar da diversidade encontrada por aqui, o especialista diz que o Brasil ainda se dedica mais à escola clássica, com seus buquês grandiosos e românticos, vertente que a Europa já deixou de lado em função da modernidade e seus pilares do século XXI, como a sustentabilidade. “O Brasil ainda vislumbra o que é tradicional. Vim mostrar que é o moderno. O clean também é bonito e podemos utilizar material reciclável sem perder o requinte”, avalia.

Arranjos floraisPara van Dijk, essa diversidade possibilita ao design refletir até mesmo o estado de espírito e a personalidade de uma pessoa. “Se você é do tipo mais sério ou quer passar uma imagem sóbria, então escolha apenas um tipo de flor no arranjo. Se é romântico, use várias flores e ramas. Se é do tipo espiritualista, complemente com uma boa luz sobre o arranjo”, explica. Além de mostrar como é o dono da casa, o design floral deve se adequar ao espaço. Assim, uma casa grande pode ser recheada de arranjos, enquanto um apartamento pequeno pede uma intervenção mais singela.

Apesar de existir alguns princípios, é possível apostar em variações. “Decorei uma casa muito ampla com poucos arranjos, todos eles com três metros de altura, com uma iluminação acima. Gosto de luz no meu trabalho, pois deixa as flores ainda mais viçosas”, explica. Para quem tem espaços menores, como a maioria dos apartamentos modernos, o especialista aconselha a escolher o local para o arranjo e montar ali uma decoração com apenas um vaso e um tipo de flor. “Em espaços menores a dica é nunca encher demais. Escolha apenas um vaso bonito e não tem erro”, afirma van Dijk.

Arranjos floraisPara o especialista, cores também contribuem para o sucesso de uma decoração. Mas antes de definir tons é preciso observar o ambiente ao redor e optar por um arranjo que se contraponha ou complemente o espaço em volta dele. “Em lugares amplos, bem iluminados por vidraças, os arranjos mais indicados são em branco, verde ou azul. Uma parede ou um piso em terracota pede flores laranjas e vermelhas. Mas você pode contrastar, explorando o branco. Tudo depende da ideia que se pretende passar”, explica.

Designer da realeza

Marcel van Dijk é um dos decoradores preferidos de reis, rainhas, magnatas e de grandes corporações europeias, como a bolsa de valores de Amsterdam, Philips e Museu do Louvre. O artista é mestre em design floral e de ambientes, sendo considerado referência mundial em gestão de empresa de decoração de festas e eventos e em gestão de floricultura. A paixão de van Dijk é a criação de ambientes com uma atmosfera natural, luxuosa e de bom gosto.

Estes são sempre o ponto de partida para os trabalhos que realiza. Há mais de 30 anos no mercado, Marcel tem na natureza a sua principal fonte de inspiração. De acordo com ele, o segredo de um grande arranjo é explorar o que é nativo, como o aproveitamento de galhos velhos e cascas, com algumas flores de qualidade.

 

Preserve a beleza

Flores e outras plantas não têm um único tempo de vida ao serem removidas da terra. Umas podem manter a aparência por até duas semanas e outras por apenas alguns dias.

- Depois de cortadas, as rosas duram muito pouco. Por isso, a dica é cortá-las em seu momento mais belo.

- Os cabos devem ser aparados com objetos bem afiados e na transversal

- Manter o arranjo sempre com muita água

- Calor excessivo, frio excessivo e ar condicionado deterioram mais rapidamente os arranjos florais