Publicado 23 de Agosto de 2013 - 14h00

Por Correio

O Botafogo irá trabalhar com um orçamento de R$ 2 milhões (R$ 400 mil por mês) no Paulistão de 2013. O valor foi declarado ontem pelo presidente do clube, Gustavo Assed Ferreira, em coletiva de imprensa no Santa Cruz.

Dentro deste montante, Assed disse que não vai trabalhar com teto salarial, nem com reserva para contratações de última hora, caso a campanha não seja das melhores. “Para montar o elenco, devemos equilibrar jovens valores, jogadores obreiros que querem aparecer, com outros que deem estofo ao grupo e que são mais caros”, afirmou.

Segundo ele, estabelecer um teto inibiria a vinda de atletas importantes. “O importante é saber o dinheiro que temos disponível para gastar. Feito isso, fazemos as contratações com correção. E se não der certo? Vamos ter que nos virar com o que há aqui. Não vai haver a correria de contratações de última hora de outros anos.”

O presidente espera até mais ou menos 20 de novembro para já saber qual será a espinha dorsal do clube. Na sexta-feira, Assed vai se reunir com o técnico Marcelo Veiga. “Todo treinador tem alguns jogadores de confiança, que ele recomenda. Mas, não teremos aqui 'parças' de técnicos. O Botafogo vai contratar quem for preciso. Tenho certeza que o Marcelo Veiga também tem este tipo de pensamento, por ter perfil disciplinador e pró-ativo”, disse.

Apesar de ter sido eliminado na segunda fase da Copa Paulista, Assed julgou que a competição serviu para dar novo ânimo a atletas que não vinham sendo aproveitados pelo clube e também para que outros pudessem aparecer. “Vamos contar com alguns deles para o Campeonato Paulista. São jovens, têm talento e interessam ao clube.” Entre eles, está o meia Francis, cujo contrato está em negociação.

Escrito por:

Correio