Publicado 10/07/2019 - 21h00 - Atualizado 10/07/2019 - 21h00

Por Estadão Conteúdo


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os deputados por ele liderados têm o mérito da aprovação da reforma da Previdência, muito mais do que a articulação do governo. A avaliação é do cientista político e professor do Insper Carlos Melo.

"Foi um imperativo da situação, de um quadro que caso continuasse, caminharia para a insolvência". São as circunstâncias que estão fazendo a reforma, muito mais que a articulação política", disse ele.

Para Melo, a Câmara era o principal desafio do governo para a aprovação da proposta. "(Os deputados) são parlamentares mais suscetíveis à pressão de setores corporativos como os professores, juízes e policiais", disse. "Senadores também têm interesses de ocupação de espaço político mas não é a mesma dinâmica, a relação é outra, passa muito pela relação com os governadores."

Escrito por:

Estadão Conteúdo