Publicado 10/07/2019 - 19h17 - Atualizado 10/07/2019 - 19h17

Por AFP


Um enviado especial do governo da França se reuniu nesta quarta-feira (10) com o presidente do Irã, Hasan Rohani, ao fim de um dia de conversas em Teerã para salvar o acordo internacional de 2015 sobre o programa nuclear iraniano e aliviar as tensões entre Estados Unidos e a República Islâmica.

Mas para complicar o trabalho do diplomata francês Emmanuel Bonne, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou ao Twitter para acusar o regime iraniano de enriquecer urânio "há muito tempo em segredo" e prometeu que em breve vai ampliar as sanções americanas contra Teerã.

Os Estados Unidos retiraram-se unilateralmente em maio de 2018 do acordo nuclear e restauraram as sanções econômicas contra o Irã. Dessa forma, o pacto, também assinado pela Alemanha, China, França, Grã-Bretanha e Rússia, parece estar em perigo.

Em resposta, o Irã anunciou que deixaria de respeitar vários compromissos do acordo para pressionar outros países do pacto a ajudá-lo a evitar as sanções de Washington, que afetam gravemente seus setores petroleiro e financeiro.

O Irã superou no início de julho suas reservas de urânio de baixo enriquecimento acima do limite imposto pelo acordo (300 kg).

"Sob pressão, nenhuma negociação é possível", disse Zarif, antes de se reunir com Bonne, conclamando os "europeus a resolver o problema" causado pela saída dos Estados Unidos do acordo.

A decisão de Washington privou a República Islâmica dos benefícios que esperava desse pacto, como um alívio das sanções internacionais que lhe foram impostas.

Teerã exige que os países que ainda fazem parte do acordo tomem as medidas que exige para que seus interesses sejam garantidos.

Além disso descarta categoricamente a renegociação do acordo, como pretende Trump, e se recusa a entrar em contato com os Estados Unidos até que revoguem as sanções impostas desde agosto de 2018.

Em Teerã, Bonne entregou uma mensagem escrita do presidente francês ao seu colega iraniano, segundo o gabinete de Rohani.

Durante a reunião, Rohani declarou que o Irã "sempre deixou a porta aberta para a diplomacia e o diálogo", e que o objetivo permaneceu "a aplicação abrangente" do acordo, acrescentou a presidência iraniana.

A mesma fonte disse que Rohani acrescentou que o Irã espera que os outros partidos "implementem integralmente seus compromissos".

Antes do encontro com Rohani, o emissário francês se reuniu com o almirante Ali Shamkhani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã, e depois com o ministro das Relações Exteriores, Mohamad Javad Zarif.

A missão de Bonne é "tentar abrir o espaço de discussão e evitar uma escalada descontrolada, ou mesmo um acidente", afirmou o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian.

Escrito por:

AFP