Publicado 10/07/2019 - 15h16 - Atualizado 10/07/2019 - 15h16

Por AFP


O governo sírio anunciou, nesta quarta-feira (10), pela primeira vez, um "grande avanço" para a formação de um comitê que vai elaborar uma Constituição para o pós-guerra no país.

"Fez-se um grande avanço para alcançar um acordo sobre uma comissão que discuta a Constituição", apontou o Ministério das Relações Exteriores, após uma reunião do enviado da ONU Geir Pedersen com o chefe da diplomacia síria, Walid Muallem.

Ao chegar, na terça-feira, o diplomata nórdico havia manifestado sua esperança de ver "avançar o processo político usando o comitê constitucional para abrir portas". O objetivo é retomar o processo de paz, bloqueado após mais de oito anos de guerra.

Seu antecessor, Staffan de Mistura, tentou, em vão, formar um comitê constitucional.

Os opositores ao governo sírio esperam criar uma Constituição totalmente nova, enquanto Damasco aceitaria apenas algumas emendas ao texto já existente.

Segundo o plano proposto pela ONU, o comitê constitucional deve ser integrado por 150 membros, 50 eleitos pelo governo, 50 pela oposição e outros 50 selecionados pelo enviado da ONU.

Se Damasco aceitar a lista proposta por Pedersen, "o comitê poderia começar seu trabalho em setembro" próximo, afirmou o jornal governista "Al Watan".

rim/ah/hc/age/mar/mb/tt

Escrito por:

AFP