Publicado 09/07/2019 - 18h01 - Atualizado 09/07/2019 - 18h01

Por AFP


O bilionário americano Tom Steyer, que financiou uma intensa campanha para o impeachment do presidente Donald Trump, se tornou nesta terça-feira (9) o pré-candidato democrata número 24 à indicação do partido para concorrer à eleição presidencial de 2020.

"Meu nome é Tom Steyer e me candidato à presidente", disse o filantropo, ecologista e ex-gerente de "hedge fund" (fundo de investimentos) em um vídeo anunciando sua candidatura.

Styer, de 62 anos, divulgou em janeiro que desistia de concorrer à indicação do Partido Democrata para focar na campanha pelo impeachment do presidente republicano. Nesta terça, ele não citou a mudança de plano.

O magnata competirá com pesos pesados como o ex-vice-presidente americano Joe Biden e os senadores Bernie Sanders, Elizabeth Warren e Kamala Harris. Um dos primeiros pré-candidatos, Eric Swalwell, desistiu de competir na segunda-feira após três meses de campanha.

A entrada tardia de Steyer na disputa provavelmente o coloca em desvantagem: após um primeiro debate já realizado, se verá pressionado a cumprir os critérios de arrecadação de fundos e intenção de voto nas pesquisas para preparar o próximo debate no fim deste mês.

Steyer tem sido um dos mais fortes defensores do impeachment de Trump, doando milhões de dólares de sua própria fortuna para uma campanha televisiva e na internet, chamada "Need to Impeach" (Necessidade de impeachment).

Mas o bilionário novaiorquino residente na Califórnia evitou essa mensagem em seu vídeo de lançamento, disparando em troca contra as poderosas corporações que, segundo disse, "compraram a democracia" e colocam o lucro acima dos americanos e do meio ambiente.

"Há uma crise em Washington DC, e não me refiro apenas a Donald Trump", disse Steyer no Twitter. "Estou falando do dinheiro corporativo e de nosso sistema político torto".

Steyer criticou recentemente a presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, a principal democrata no Congresso, que se opõe publicamente à abertura de um processo contra Trump, mas enfrenta uma crescente pressão dentro de seu grupo para fazer isso.

A primeira votação das primárias democratas será no pequeno estado de Iowa em 3 de fevereiro de 2020. A eleição presidencial dos Estados Unidos está programada para 3 de novembro de 2020.

Twitter

Escrito por:

AFP