Publicado 09/07/2019 - 16h45 - Atualizado 09/07/2019 - 16h45

Por AFP


Os Estados Unidos pediram para a Suíça a extradição de um pesquisador chinês acusado de usar segredos comerciais roubados em uma fábrica do grupo farmacêutico britânico GlaxoSmithKline (GSK), na Pensilvânia (EUA), e de tê-los divulgado, informaram nesta terça-feira (9) as autoridades suíças.

Gongda Xue, de quase 50 anos e residente na Suíça, é o irmão de Yu Xue, um bioquímico que se declarou culpado no ano passado nos Estados Unidos sob o mesmo caso de roubo de segredos comerciais da obra de GSK no setor biofarmácia e, em particular, o tratamento do câncer e outras doenças graves.

Cinco pessoas foram indiciados neste caso, três das quais tinham criado uma empresa na China, chamada Renopharma, com o objetivo de vender os segredos comerciais roubados.

Yu Xue, que trabalhava para a GSK, entre 2006 e 2016, foi apresentado pelo sistema de Justiça dos EUA como um dos "principais bioquímicos do mundo na área de proteínas".

Segundo a Justiça americana, Gongda Xue, que trabalhava em Basileia para o Miescher Institute for Biomedical Research, tinha realizado testes na Suíça utilizando informações roubadas por sua irmã na fábrica da GSK nos EUA.

Gongda Xue, que pode ser condenado a até 20 anos de prisão, foi detido "em 28 de maio no cantão de Basileia-Campo e posto em prisão preventiva", disse à AFP uma porta-voz do Gabinete Federal de Justiça (FOJ), Ingrid Ryser.

Se as autoridades suíças aceitarem o pedido americano, Gongda Xue terá 30 dias a partir da data de notificação para recorrer ante o Tribunal Penal Federal.

apo-bs/cls/age/mb/ll/mvv

GLAXOSMITHKLINE

Escrito por:

AFP