Publicado 08/07/2019 - 23h15 - Atualizado 08/07/2019 - 23h15

Por AFP


O departamento americano de Estado aprovou a potencial venda a Taiwan de 2,2 bilhões de dólares em armas, incluindo tanques Abrams e mísseis Stinger, informou o Pentágono nesta segunda-feira.

A venda, que incluiria 108 tanques Abrams M1A2T e 250 mísseis Stinger, foi comunicada ao Congresso, que tem 30 dias para rejeitá-la, o que parece pouco provável.

O anúncio deve provocar uma reação firme da China, que considera Taiwan como parte de seu território.

Esta venda de armas servirá para "modernizar" o arsenal de Taiwan e "não afetará o equilíbrio básico das forças militares na região", destacou a Agência de Cooperação para a Segurança e Defesa (DSCA), órgão do departamento de Defesa dos EUA.

A China considera Taiwan como parte de seu território. A ilha é governada por um regime adversário de Pequim, que se refugiou ali após a tomada do continente por parte dos comunistas, em 1949, ao fim da guerra civil chinesa.

Washington, que rompeu relações diplomáticas com Taipé em 1979 para reconhecer Pequim como único representante da China, segue sendo o aliado mais poderoso da ilha e seu principal fornecedor de armas.

O presidente Donald Trump não esconde suas intenções de fortalecer os laços com a ilha, especialmente com a venda de sofisticados sistemas de armas.

wd/jah/lr

Escrito por:

AFP