Publicado 08/07/2019 - 20h30 - Atualizado 08/07/2019 - 20h30

Por Estadão Conteúdo


O líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir (GO), disse neste segunda-feira, 8, após sair de reunião na casa de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que o partido votará unido em favor do texto da reforma da Previdência que passou na comissão especial, e voltou a dizer que o PSL não apresentará destaques. Perguntado se há receio de que deputados do partido votem favoráveis a eventuais propostas de mudanças apresentadas pela oposição, o líder respondeu que não.

"PSL vai votar na defesa do projeto original, texto base, o PSL fechou questão com a reforma", disse.

Perguntado se não seria uma "ironia" votar contrário a vontade do presidente Jair Bolsonaro, que é do PSL, Waldir respondeu que Bolsonaro "expressa uma visão política". O presidente Jair Bolsonaro havia tentado um acordo em prol de regras mais brandas para os policiais federais.

"Na verdade o presidente Bolsonaro expressa uma visão política, nós demonstramos a nossa visão de Brasil", disse. "Dentro do possível está atendendo muito bem as carreiras policiais", concluiu.

Também ao sair da reunião na casa de Maia, o líder do Podemos, José Nelto, afirmou que os partidos de Centro irão trabalhar para manter o texto que saiu da comissão especial. "A gente sente que não tem clima", afirmou Nelto sobre mudanças pretendidas pela categoria dos policiais federais. "Presidente tem de ter consciência que quem está governando hoje vai ser xingado (sobre reclamações de policiais), consciência de que ele não será unanimidade", completou o líder do Podemos.

Waldir também respondeu que é objetivo de Maia votar a reforma no plenário da Câmara em 1º e 2º turno ainda nesta semana. "Essa reforma não é mais do presidente Bolsonaro, essa reforma é do parlamento, do presidente Rodrigo Maia", disse o líder do PSL.

Escrito por:

Estadão Conteúdo