Publicado 08/07/2019 - 20h15 - Atualizado 08/07/2019 - 20h15

Por Estadão Conteúdo


O Eurogrupo, que abarca os ministros de Finanças dos países da zona do euro, rejeitou abertamente pedidos do novo governo da Grécia para aliviar as condições orçamentárias acordadas entre as duas partes como parte do programa de resgate. Em Bruxelas, os ministros afirmaram que os principais objetivos firmados com a Grécia não serão alterados. "Compromissos são compromissos e, se os quebrarmos, a credibilidade é a primeira coisa a desmoronar. Isso geral falta de confiança e investimentos", disse o presidente do Eurogrupo, Mario Centeno, após a reunião.

O novo primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, foi empossado nesta segunda-feira, um dia depois de sua vitória eleitoral, em uma campanha que prometeu cortes de impostos e renegociação dos termos do pacote de resgate com credores internacionais. A Grécia encerrou o seu terceiro resgate internacional consecutivo no ano passado. Como parte desses acordos, o país se comprometeu a alcançar superávits orçamentários, o que pesou nos gastos do governo e dificultou a recuperação da economia grega.

Centeno comentou, após o fim da reunião, que a discussão sobre a Grécia foi "relativamente curta" e se disse ansioso para trabalhar "construtivamente" com o novo governo, que será comandado pelos conservadores. "Discutiremos mais amplamente as intenções políticas do novo governo grego no futuro", escreveu Centeno em comunicado.

Escrito por:

Estadão Conteúdo