Publicado 08/07/2019 - 20h15 - Atualizado 08/07/2019 - 20h15

Por Estadão Conteúdo


O Departamento do Comércio dos Estados Unidos informou nesta segunda-feira que determinou, de forma preliminar, que as importações de aço estrutural fabricado na China e no México receberam subsídios injustos, o que pode ser "passível de compensação" por meio de tarifas mais elevadas. Assim, o departamento afirmou que instruirá a Agência de Proteção de Fronteiras e Alfândega dos EUA a coletar taxas em espécie de importadores de aço estruturais da China e do México que chegarem aos EUA.

De acordo com o departamento, o aço fabricado na China recebeu subsídios que vão de 30,30% a 177,43% e que a ajuda ao aço fabricado no México foi de 0,01% a 74,01%. O Departamento do Comércio também investigou o aço fabricado no Canadá, mas apontou que os subsídios recebidos por ele vão de 0,12% a 0,45%, o que não implica em algo significativo.

Uma determinação final sobre o acaso será feita em torno de 19 de novembro. "Se essa determinação continuar consistente com a decisão de hoje, a Comissão de Comércio Internacional dos EUA fará uma determinação final de dano por volta de 2 de janeiro do próximo ano", apontou o documento.

No ano passado, os EUA importaram cerca de US$ 722,5 milhões de aço fabricado no Canadá. As importações americanas de aço chinês foram avaliadas em cerca de US$ 897,5 milhões e as do México foram avaliadas em US$ 622,4 milhões no ano passado, informou o Departamento do Comércio americano.

Escrito por:

Estadão Conteúdo