Publicado 08/07/2019 - 15h15 - Atualizado 08/07/2019 - 15h15

Por AFP


O Paris Saint-Germain lamentou a ausência de seu astro brasileiro Neymar na volta aos treinos nesta segunda-feira, e prometeu "tomar as medidas apropriadas" decorrentes.

O PSG constatou que o atacante não se apresentou no horário e o lugar combinados, sem ter sido previamente autorizado pelo clube", explicou o clube francês em um breve comunicado.

Contratado com grande pompa no início de 2017, pela bagatela de 222 milhões de euros, o craque perdeu seu status de intocável após duas temporadas complicadas, marcadas por contusões, polêmicas e atuações decepcionantes.

Seu ex-clube, o Barcelona, que seria o suposto destino nesta janela do verão europeu, se manifestou por meio de seu presidente Josep Maria Bartomeu na semana passada: "Para acabar com tudo que tem saído na mídia, nós sabemos que Neymar quer deixar o PSG, sabemos disso. Mas também sabemos que o PSG não quer que Neymar saia. Então, não há nada".

O tom firme utilizado pelo PSG nesta segunda-feira segue a mesma linha de uma declaração de Leonardo, que reassumiu o cargo de diretor esportivo do clube parisiense: "Não importa se Neymar é Neymar, se Cristiano Ronaldo é Cristiano Ronaldo, o clube é a instituição maior e precisa ser respeitado. É o clube quem vai orientar um projeto, não é Neymar".

Uma declaração reforçada pela posição manifestada recentemente pelo presidente do PSG, Nasser Al-Khelaïfi: "Eles terão que fazer mais, trabalhar mais. (...) Eles não estão aqui para se divertir. Se algum jogador não está contente, as portas do clube estão abertas. Adeus! Eu não quero mais ter comportamentos de estrelas."

mca/clv/aam

Escrito por:

AFP