Publicado 07/07/2019 - 13h00 - Atualizado 07/07/2019 - 13h00

Por AFP


As autoridades maltesas autorizaram, neste domingo (7), a entrada em suas águas territoriais do navio humanitário "Alan Kurdi", da ONG alemã Sea-Eye, com 65 migrantes a bordo.Depois de negociações hoje com o restante da União Europeia (UE) - e com a Alemanha em particular -, Malta informou que patrulhas locais vão recolher os migrantes que estão a bordo, levando-os para terra firme. O navio não recebeu autorização para atracar.Ainda segundo o governo de Malta, nenhum desses migrantes permanecerá em seu território, "já que este caso não é responsabilidade das autoridades maltesas". O grupo será distribuído por diferentes países europeus.Pouco antes, em um tuíte, a ONG alemã Sea-Eye afirmou que três pessoas a bordo foram vítimas de uma onda de calor."Precisamos, de maneira urgente, de assistência médica e de um porto seguro, para evitar o pior", alertou a ONG."Não podemos esperar nos encontrarmos em estado de emergência. Agora, temos de ver se os governos europeus apoiam a posição da Itália. Com vidas humanas não se negocia", havia tuitou a Sea-Eye mais cedo.O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini (extrema direita), mantém uma dura batalha contra estas ONGs e lhes nega acesso a seus portos. Na última semana, dois barcos de ONGs atracaram na ilha de Lampedusa, desafiando Salvini.As forças armadas maltesas também anunciaram terem socorrido neste domingo um grupo de 50 migrantes, a bordo de uma embarcação que estava afundando em sua zona oficial de resgate no mar. Os homens foram socorridos pelo navio de uma patrulha e chegarão a Malta no domingo à noite.mx-cm/pg/bc/jvb/tt

Escrito por:

AFP