Publicado 07/07/2019 - 10h45 - Atualizado 07/07/2019 - 10h45

Por AFP


Quatrocentas mil pessoas desfilaram em Madri, neste sábado (6), na Parada do Orgulho Gay, dedicada, este ano, aos pioneiros da causa homossexual, em meio aos temores com a ascensão da extrema direita no país.Milhares de pessoas se reuniram à tarde na estação de Atocha, ponto de partida do desfile."A polícia registra a participação de 400.000 pessoas na manifestação do Orgulho 2019 em Madri", tuitou a corporação."História, luta e memória!" foi o lema da marcha deste ano na capital espanhola do movimento LGTB, particularmente ativo.A manifestação comemorou o 50º aniversário dos distúrbios de Stonewall em Nova York, em 1969, que simbolizam o início do movimento moderno pelos direitos dos homossexuais.Nesta época, a Espanha vivia sob a ditadura de Francisco Franco, que reprimia duramente os homossexuais.A homossexualidade foi descriminalizada três anos após sua morte, em 1978. Poucas décadas depois, a Espanha se tornou um dos países mais tolerantes do mundo nessa matéria. Desde 2005, por exemplo, permite o casamento e a adoção por parte de pessoas do mesmo sexo.O desfile foi o primeiro desde a irrupção nas urnas do partido de extrema direita Vox, para o qual a Marcha do Orgulho Gay é "uma imposição ideológica" de alguns. O Vox propõe deslocar o evento para um parque na periferia da capital.av/mg/mis/mar/bc/sgf/tt

Escrito por:

AFP