Publicado 12/07/2019 - 11h12 - Atualizado 12/07/2019 - 11h13

Por Carlos Rodrigues

Centroavante clássico, com porte físico avantajado e trombador, Michel Douglas está escalado e elogiou grupo:

Letícia Martins/Guarani FC

Centroavante clássico, com porte físico avantajado e trombador, Michel Douglas está escalado e elogiou grupo: "Aqui só tem jogador bom e experiente"

Após um mês de paralisação para a disputa da Copa América, a volta da Série B do Brasileiro vale para o Guarani como uma possibilidade de recomeço. Depois de um início de campanha muito ruim, o Bugre passou por mudanças em seu elenco e comissão técnica e quer colher os frutos positivos do processo de renovação a partir de hoje, na partida contra o CRB, às 19h15, no Estádio Rei Pelé, válida pela nona rodada.
A situação na tabela é muito incômoda, afinal o time aparece na vice-lanterna e, em oito jogos, conquistou apenas uma vitória, teve dois empates e sofreu cinco derrotas, quatro delas consecutivas. O fraco desempenho culminou na saída de alguns jogadores, chegada de contratações e na troca de comando, com Roberto Fonseca substituindo Vinícius Eutrópio. E o novo treinador quer que a equipe esqueça o passado e reescreva outra história.
"Nós procuramos trabalhar gradativamente e não adianta ficar focando só a tabela. O que aconteceu não vai mudar. O que muda é o próximo jogo e, mesmo sabendo das dificuldades e de tudo que envolve, vamos buscar fazer uma grande partida", diz Fonseca, que coloca a fuga da zona de rebaixamento como objetivo primário, mas projeta o que o Guarani precisa fazer para buscar coisas maiores. "Precisamos buscar ter o aproveitamento em torno dos 60%. Importante é estar pontuando e ter uma equipe equilibrada, dentro e fora de casa."
Em Maceió, o Bugre luta contra dois tabus. O primeiro de nunca ter vencido na casa do adversário em sete confrontos. Outro obstáculo é o desempenho como visitante na temporada. Em 12 jogos longe do Brinco, a equipe soma apenas uma vitória — foi no dia 31 de janeiro, contra o São Paulo.
"A gente tem que dar a volta por cima. O que aconteceu é passado, tem que esquecer. É começar bem, somar pontos fora de casa e dentro fazer o nosso trabalho. O time está focado, está bem. Uma vitória fora vai ser boa demais para nós", diz o volante Igor Henrique. "Nosso objetivo é somar pontos, não podemos perder mais. Essa é nossa meta, ir e beliscar pontos que serão importantes lá na frente", acrescenta o zagueiro Ferreira.
Para a partida contra o CRB, comandado pelo ex-bugrino Marcelo Chamusca, Roberto Fonseca não confirmou a escalação, mas pelos treinamentos da semana foi possível ver que o Guarani terá mudanças em relação ao que jogou pela última vez na Série B. As principais novidades são as estreias do goleiro Jefferson, do zagueiro Bruno Silva e do atacante Michel Douglas.
FICHA TÉCNICA
CRB
Edson Mardden; Daniel Borges, Wellington Carvalho, Victor Ramos e Igor; Claudinei e Ferrugem; Felipe Ferreira, Willians Santana e Alisson Farias; Dudu (Willie). Técnico: Marcelo Chamusca.
GUARANI
Jefferson; Lenon, Ferreira, Bruno Silva e Armero; Igor Henrique e Ricardinho; Diego Cardoso, Arthur Rezende e Éder Luis; Michel Douglas. Técnico: Roberto Fonseca.
Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL). Horário: 19h15 (Sportv). Juiz: Emerson de Almeida Ferreira (MG).
Michel Douglas encara a missão de ser o homem-gol
O Guarani terá três estreantes na noite de hoje em, Maceió, e um deles com a grande responsabilidade de ser o homem-gol do time. A missão, porém, não assusta Michel Douglas. Preparado para aproveitar essa oportunidade, o atacante descarta sentir o 'peso' da camisa 9 bugrina, vestida por muitos craques ao longo da história.
Escolhido pelo técnico Roberto Fonseca para ser a referência de ataque da equipe, Michel tem o estilo do centroavante clássico, com porte físico mais avantajado e trombador. Não à toa, muitas das jogadas ensaiadas pelo treinador durante a semana têm a participação direta dele.
“A expectativa é muito boa de representar o Guarani. Um foco muito grande e não só meu, é da equipe inteira. Mesmo com pouco tempo aqui, já dá pra ver a vontade de todo mundo", diz. "Claro que tenho essa responsabilidade de vestir a 9 do Guarani, mas encaro com felicidade, não um peso."
No Bugre, o atacante também busca voltar a corresponder dentro de campo. Depois de uma passagem com bons números pelo CSA, não conseguiu repetir o desempenho no futebol português e, mais recentemente, no Vila Nova. Em Goiânia, marcou um gol em 16 partidas e ainda viveu um drama pessoal com o falecimento do pai.
"No Vila Nova não consegui jogar tanto, mas aqui é vida nova. Sei que o pessoal conta muito com a gente que está chegando e espero dar o melhor", projeta. "Aqui só tem jogador bom e experiente. Nesse pouco tempo, conseguimos entender as ideias do treinador e acho que o trabalho sairá bem feito."

Escrito por:

Carlos Rodrigues