Publicado 10/07/2019 - 12h26 - Atualizado 10/07/2019 - 12h26

Por France Press

Pesquisa observou 14 movimentos diferentes, incluindo uma impressionante batida da cabeça digna de um show de heavy metal

Divulgação

Pesquisa observou 14 movimentos diferentes, incluindo uma impressionante batida da cabeça digna de um show de heavy metal

A famosa cacatua de crista amarela Snowball, estrela do YouTube há uma década por sua habilidade por agitar seu corpo ao ritmo dos Backstreet Boys, reapareceu em um artigo científico que descreve em detalhe 14 de seus movimentos de dança.
O estudo, publicado na revista científica Current Biology, "mostra pela primeira vez que outra espécie realmente dança a música dos seres humanos, espontaneamente e sem treinamento, apenas com base em seu próprio desenvolvimento e interação social com os humanos", explicou à AFP um dos coautores do estudo, Aniruddh Patel, psicólogo nas Universidades de Tufts e Harvard.
Um estudo anterior de Patel, na mesma revista, confirmou que Snowball podia se mexer de acordo com a música, mas depois seus passos limitavam-se ao movimento da cabeça e ao levantar de uma pata, dois gestos geralmente associados a rituais de acasalamento. Mas logo depois, a dona do Snowball, Irena Schulz, que cuida dele em um santuário de pássaros em Duncan, Carolina do Sul, percebeu que o animal era cada vez mais criativo em seus passos.
Para estudar o assunto cientificamente, Aniruddh Patel e seus colegas expuseram o pássaro a sucessos musicais dos anos 80 (Another One Bite the Dust e Girls Just Want to Have Fun) três vezes cada, por 23 minutos, e filmaram o resultado.
Uma observação plano a plano possibilitou a identificação de 14 movimentos diferentes, incluindo uma impressionante batida da cabeça digna de um show de heavy metal e dois movimentos combinados, como mostrado em um vídeo divulgado pelos pesquisadores. "São movimentos muito complexos, muitos dos quais fazem parte da conduta natural de um periquito", afirmou Aniruddh Patel. "Quisera eu poder dançar como o Snowball", acrescentou.

Escrito por:

France Press