-->

Publicado 11/07/2019 - 08h17 - Atualizado 11/07/2019 - 09h28

Por Alenita Ramirez

Inquérito apura garoto esquecido em aeroporto

Divulgação

Inquérito apura garoto esquecido em aeroporto

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o abandono de um menino de 11 anos por uma companhia aérea no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, na noite do último sábado. A criança tinha autorização judicial para viajar sozinha e embarcaria em um voo da Azul para Aracaju, em Sergipe, mas ela foi esquecida na sala de espera por funcionários da companhia, que só lembraram após o avô do garoto, um aposentado de 65 anos, acionar a empresa.
O avô registrou boletim de ocorrência na 4ª Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur), de abandono de incapaz. A criança foi embarcada no dia seguinte.
A reportagem apurou que o garoto embarcaria em um voo às 22h40. Por volta das 21h50, o aposentado fez o check in da criança e a entregou para uma funcionária da companhia, que a levou para a sala de espera. A promessa era de que perto do horário de embarque, um funcionário iria ao local e conduziria o menino para o avião.
Ainda segundo a apuração, o menino tem autorização judicial para viajar desacompanhado desde os cinco anos de idade. Ele mora com a mãe em Aracaju e nas férias de dezembro e julho costuma visitar os avós, que moram em Campinas.
Normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para viagens domésticas de crianças abaixo de 12 anos, desacompanhadas dos pais, responsáveis, parentes ou maiores autorizados, estabelecem como requisitos: "Certidão de nascimento válida em todo território nacional (original ou cópia autenticada) ou documento oficial de identificação com foto (como RG ou passaporte) com fé pública e válido em todo o território brasileiro. Neste caso, devem apresentar autorização judicial (válida por no máximo 02 anos, conforme autoridade judicial)."
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), por volta da meia-noite, o avô recebeu ligação do neto, que o informou que havia perdido o voo porque ninguém o havia buscado na sala. Foi então que o avô alertou a companhia sobre o esquecimento. A criança foi levada pela empresa até a casa do avô e embarcou para sua cidade na manhã do dia seguinte.
A companhia, por meio de nota, informou: "Por motivos operacionais, um menor desacompanhado não conseguiu embarcar no voo AD9094 (Campinas-Aracaju), na última sexta. A companhia ressalta que prestou toda a assistência necessária à criança, que foi acompanhada pelos Tripulantes da Azul e entregue aos responsáveis no destino final."

Escrito por:

Alenita Ramirez