Publicado 11/06/2019 - 15h14 - Atualizado 11/06/2019 - 15h14

Por AFP


Danilo Garcia de Andrade, terceiro advogado da mulher que acusa de estupro o astro brasileiro Neymar, abandonou o caso na segunda-feira conforme informou em uma entrevista."Devo me retirar do processo", disse Garcia de Andrade afirmando, em seguida ao SBT, que não era mais o advogado de Najila Trindade Mendes de Souza, a jovem brasileira que apresentou no dia 31 de maio uma denúncia por estupro contra o jogador. 'Najila, que diz ser modelo, garante que viajou a Paris em meados de maio para se encontrar com Neymar - que pagou suas passagens e hotel- com a finalidade de ter um encontro sexual. Mas que uma vez juntos, ela desistiu por não ter preservativos. A denunciante afirma que nesse momento ele a forçou violentamente a fazer sexo. O primeiro advogado de Najila deixou o caso quando a jovem apresentou a denúncia por estupro, argumentando que a jovem só falou de agressão, não de sexo sem consentimento. Houve uma segunda advogada que a acompanhou para formalizar a acusação e de quem não se teve mais notícias. Depois foi a vez de Garcia de Andrade assumir a defesa. A imagem do advogado viralizou nas redes sociais na sexta-feira, quando saiu de uma delegacia de São Paulo carregando Najila nos braços após passar toda a tarde respondendo um interrogatório como parte das investigações.Depois que a denúncia foi divulgada no sábado, 1 de junho, pela imprensa, Neymar disse ser inocente e publicou uma troca de mensagens e fotos íntimas. Isso atiçou a opinião pública a seu favor, porque registrava um consentimento da jovem para encontrá-lo, mas provocou o início de uma investigação por possível crime virtual, ao expor esse arquivo sem o consentimento de Najila, o que segundo a lei brasileira poderia ser inclusive penalizado com entre um e cinco anos de prisão.Najila ratificou sua acusação em uma entrevista divulgada na quarta-feira, a mesma noite que Neymar machucou o tornozelo direito, ficando fora da Copa América e dos gramados por pelo menos um mês, e que vazou um trecho de um vídeo no qual ambos aparecem em um quarto de hotel e as imagens mostram a jovem agredindo e reclamando de ter sido agredida.Najila afirma que no resto do vídeo, que ela teria gravado em um segundo encontro com o jogador em Paris, estariam provas que sustentam sua acusação, mas ela diz que o arquivo estava em um tablet que foi roubado de sua casa. "Ela diz que pegou uma marcação de rastreamento desse tablet, e que ele estaria na avenida do meu escritório. (...) Ela foi muito enfática, e um cliente não pode colocar a idoneidade de um advogado (em dúvida). Ainda mais um advogado que sai da delegacia carregando ela nos braços", disse Garcia de Andrade. pr/dga/aam

Escrito por:

AFP