Publicado 10/06/2019 - 06h29 - Atualizado 10/06/2019 - 06h29

Por AFP


A Nova Zelândia iniciará no próximo mês a redução do importante contingente mobilizado no Iraque em uma missão não combatente, com o objetivo de concluir a retirada total em meados de 2020, anunciou a primeira-ministra Jacinda Ardern.Wellington enviou militares ao Iraque em 2015 para treinar e apoiar as forças iraquianas que lutavam contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI).Arden indicou que o contingente neozelandês, atualmente de 95 militares, que trabalhou com australianos na base de Taji, ao norte de Bagdá, completou sua missão."No que diz respeito ao Iraque, chegou o momento de saída", disse Ardern, ao destacar que 44.000 militares iraquianos foram treinados na base de Taji.Ela explicou que a tropa neozelandesa em Taji passará a contar com 75 membros no próximo mês, depois 45 em janeiro de 2020, antes de uma retirada total em junho do próximo ano.ns-grk/rbu/fox/pb/zm/fp

Escrito por:

AFP