Publicado 09/06/2019 - 19h07 - Atualizado 10/06/2019 - 17h35

Por Carlos Rodrigues

Em má fase, Xandão corre o risco de deixar a zaga

Letícia Martins/Guarani Press

Em má fase, Xandão corre o risco de deixar a zaga

Na zona de rebaixamento e com apenas uma vitória em sete rodadas, o Guarani faz diante do Coritiba, nesta terça-feira (11), no Brinco de Ouro, o último jogo pela Série B do Campeonato Brasileiro antes da paralisação para a disputa da Copa América. E a expectativa é pelo time que será escolhido por Vinícius Eutrópio. Mantido no cargo para a partida, o treinador tem a possibilidade de repetir a formação que foi a campo em Goiânia, mas conta com o retorno de dois jogadores que vinham sendo titulares.
O zagueiro Ferreira e o meia Arthur Rezende cumpriram suspensão na derrota para o Atlético-GO e voltam a ficar à disposição. A dúvida é se eles têm lugar garantido na equipe. No caso de Ferreira, a opção natural seria sua entrada na vaga de Bruno Lima, mas a péssima fase de Xandão pode modificar a troca. O defensor marcou gol contra na derrota para o Brasil de Pelotas e foi protagonista na falha que culminou no tropeço do último jogo. Assim, tem chances de ser sacado.
Já a presença ou não de Arthur Rezende no time tem a ver com que o treinador pensa em termos de esquema tático para o Bugre. Quando o meia esteve em campo, o Guarani jogou sempre no 4-2-3-1. Em Goiânia, com a entrada de Igor Henrique, o time atuou no 4-1-4-1. Uma terceira possibilidade é a saída de um dos jogadores de lado do campo — Éder Luis ou Felipe Amorim — fazendo com que a equipe se posicione no 4-4-2.
"Os jogadores que entraram melhoraram nosso nível e dá esperança para seguirmos em frente. O próprio Bruno entrou pela esquerda, mas o Armero e o Igor elevam o nível dos outros por aquele lado", disse Vinícius Eutrópio.
Quem deve ganhar nova oportunidade é o garoto Davó. Apesar da participação discreta, o atacante tem tudo para seguir na equipe titular como dono da camisa 9 na terça-feira.

Escrito por:

Carlos Rodrigues