Publicado 12/06/2019 - 10h35 - Atualizado 12/06/2019 - 16h29

Por Alenita Ramirez

Greve relâmpago afeta serviços no Detran-SP

Divulgação

Greve relâmpago afeta serviços no Detran-SP

Uma greve relâmpago dos funcionários terceirizados afetou o atendimento na unidade do Detran-SP, no Campinas Shopping, na manhã desta terça-feira (11). O serviço normalizou por volta do meio-dia. Os trabalhadores são da Oportunith Prestadora de Serviços. Apenas 10 funcionários concursados do Detran ficaram na unidade mantendo o atendimento de forma restrita.
Segundo os funcionários que promoveram a paralisação, eles estão sem receber o salário que deveria ter sido pago no quinto dia útil. Os trabalhadores reclamam também de eventuais atrasos no pagamento de vale-refeição e vale-transporte.
Quem buscou atendimento no local logo nas primeiras horas, teve que ter paciência. O presidente da Associação dos Despachantes de Campinas, Antonio Moreno de Souza, contou que a paralisação provocou uma série de transtornos. “O maior problema foi com o protocolo de transferências”, disse referindo-se ao procedimento de mudança de propriedade.
Segundo Souza, são realizados entre 700 e 800 procedimentos desse tipo por dia, pelo conjunto dos 86 escritórios de despachantes da cidade. “Se a gente perde a data (do protocolo) teremos multas de mais de R$ 200 e cinco pontos na carteira do condutor”, adverte. Ele conta que neste mês, estão sendo feitos licenciamentos dos carros de placa final 3 e que os de finais 1 e 2 já venceram.
Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão de Obra, Trabalho Temporário, Leitura de Medidores e Entrega de Avisos do Estado de São Paulo (Sindeepress), a empresa vem atrasando o pagamento todos os meses. A entidade informou que já notificou o Detran e a empresa responsável pela contratação anteriormente, mas nada foi feito.
Em nota, o Detran.SP informou que a unidade de Campinas operou normalmente e que os funcionários terceirizados retornaram aos seus postos de trabalho por volta das 12h30. “Não houve interrupção dos serviços em nenhum momento, pois uma força-tarefa foi realizada para o atendimento aos cidadãos”, frisou. Por mês, a unidade de Campinas emite uma média de 27 mil documentos.

Escrito por:

Alenita Ramirez