Publicado 12/06/2019 - 09h38 - Atualizado 12/06/2019 - 09h38

Por Maria Teresa Costa

Cabos de aço que sustentarão obra estrutural do BRT começam a ser instalados

Leandro Ferreira/AAN

Cabos de aço que sustentarão obra estrutural do BRT começam a ser instalados

Os cabos de aço que sustentarão o primeiro viaduto estaiado de Campinas começaram a ser instalados e a previsão é que a obra, que ligará a estação do BRT da Rodoviária ao Corredor Campo Grande, será concluída até o final do mês. A liberação para operação, informou o presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro, ocorrerá no próximo mês. Segundo ele, 90% da obra estão concluídas.
Com a conclusão, o elevado de 40m de altura necessitará ainda de obras complementares do corredor para entrar em operação. A entrega dos corredores Campo Grande, Ouro Verde e Perimental do BRT está prevista para o primeiro semestre de 2020. O viaduto passa sobre a Avenida Barão de Itapura e sobre a alça de saída dos terminais Rodoviário e Metropolitano.
Os estais (cabos de aço) estão sendo fixados em uma das extremidades, onde está o mastro, com uma ancoragem fixa, e na outra, com ancoragem regulável, porque ficam submetidos a grandes variações de tensões por conta das cargas que atuam no viaduto de 119 metros de extensão, por 12,8 metros de largura, e que está a 40 metros do chão, incluindo o final do mastro principal.
A estrutura é em concreto armado e os estais em cabos de aço. O custo do viaduto é de R$ 8,7 milhões. As obras dos BRTs incluem a construção de 16 novas pontes e viadutos pela cidade, sendo quatro no corredor Ouro Verde e 12 no Campo Grande. O viaduto sobre a Avenida Barão de Itapura será o único estaiado. A opção por essa tecnologia, informou Barreiro, levou em conta a rapidez de construção e o custo menor.
As obras do corredor Campo Grande estão ocorrendo no Jardim Nova Esperança, em um trecho de 490 metros da Avenida John Boyd Dunlop. As obras do Corredor BRT Campo Grande chegaram ao Jardim Nova Esperança em março, quando houve a interdição de um trecho de 1,3 km da Avenida John Boyd Dunlop, na pista sentido Centro, entre o Córrego do Piçarrão e a Rua Benedito Franco.
Atualmente, a circulação de veículos é desviada para a pista sentido bairro, que provisoriamente ficou com duplo sentido de circulação na extensão em obras. Desde terça-feira, as obras estão sendo estendidas para o sentido bairro da via, desde a altura da Rua Benedito Franco até a Rua Luiz Raphael Lot, marginal da Avenida JBD, onde futuramente será construído o novo Terminal Campo Grande. Neste trecho, a pista sentido Centro é que terá duplo sentido de circulação. Uma faixa será provisoriamente destinada ao fluxo no sentido bairro, que retorna à pista original próximo ao Jardim Sul América.

Escrito por:

Maria Teresa Costa