Publicado 10/05/2019 - 18h14 - Atualizado 10/05/2019 - 18h15

Por Divulgação

De 1998 a 2017, o aumentou em 50% o número de mulheres que deram à luz entre 40 e 44 anos

Divulgação

De 1998 a 2017, o aumentou em 50% o número de mulheres que deram à luz entre 40 e 44 anos

A maternidade é um assunto cheio de dúvidas e questionamentos. Há dois dias das comemorações do Dia das Mães, quando o assunto é a gestação em mulheres com idade acima dos 40 anos, as inseguranças e os medos se multiplicam. Há anos atrás, vários fatores, como os avanços da medicina e escolhas profissionais, não faziam parte do cenário feminino como atualmente.
Segundo Mariana Simões, ginecologista e obstetra, a famosa frase “velha para engravidar” ficou no passado. É o que mostra o levantamento do núcleo de inteligência da Folha, a partir dos dados do sistema de informações sobre nascidos vivos do Ministério da Saúde: o número de mulheres que deram à luz entre 40 e 44 anos cresceu 50%, de 1998 a 2017.
A expectativa de vida das mulheres vem aumentando e, cada vez mais, elas se cuidam e estão mais do que aptas a ter uma gestação e um parto saudáveis. “O corpo feminino que ovula, não importa a idade, está preparado para receber a gestação e passar pelo processo de parto”, explica.
É importante lembrar que o óvulo “envelhece” e, em uma gestação mais tardia, podem haver abortamentos espontâneos, provavelmente pela má concepção e menor qualidade do óvulo, causando o aumento de doenças cromossômicas. “Mas, isso não quer dizer que toda mulher que opta por ter filho após os 40 anos vai passar por isso ou que engravidar mais cedo irá livrá-la desses riscos”, ressalta Mariana.
A principal orientação da médica é procurar pelo acompanhamento de um profissional de confiança e fazer um pré-natal adequado. Tudo isso vai garantir os cuidados necessários com a saúde, seja qual for a idade escolhida para se tornar mãe.

Escrito por:

Divulgação