Publicado 09/05/2019 - 15h07 - Atualizado 09/05/2019 - 15h08

Por Estadão Conteudo

O dólar futuro para junho avançava 0,90%, aos R$ 3,9715, ante máxima em R$ 3,9770 (+1,03%)

Divulgação

O dólar futuro para junho avançava 0,90%, aos R$ 3,9715, ante máxima em R$ 3,9770 (+1,03%)

 O dólar sobe ante o real em meio a ameaças mútuas entre EUA e China nas discussões comerciais em curso e de olho nos dados de varejo fracos no País. As vendas no comércio em março no Brasil vieram abaixo da mediana das projeções do mercado e sustentam preocupações com a fraqueza da economia doméstica.
Peso no sentimento negativo do investidor também a piora no clima econômico no País, que passou de +3,6 pontos no trimestre até janeiro para -21,1 pontos no trimestre até abril. Com isso, a liderança do Brasil na melhora do clima econômico na América Latina se inverteu e o País passou a ser o primeiro entre os piores, segundo o indicador Ifo/FGV de Clima Econômico (ICE) da América Latina, divulgado nesta quinta-feira, 9. O ICE da América Latina saiu de uma queda de 9,1 pontos no trimestre terminado em janeiro para queda de 21,1 pontos no trimestre terminado em abril deste ano.
Às 9h20 desta quinta-feira, o dólar à vista subia 0,79%, aos R$ 3,9640, após tocar em máxima aos R$ 3,9685 (+0,90%). O dólar futuro para junho avançava 0,90%, aos R$ 3,9715, ante máxima em R$ 3,9770 (+1,03%).

Escrito por:

Estadão Conteudo