Publicado 07/05/2019 - 10h07 - Atualizado 07/05/2019 - 10h51

Por AFP

Médico espanhol condenado a 10 anos de prisão

Divulgação

Médico espanhol condenado a 10 anos de prisão

Um médico espanhol foi condenado nesta terça-feira na Suécia a 10 anos de prisão por agressões sexuais e estupros de 50 crianças entre 2 e 12 anos.
Cristian Carretero, 29 anos, foi considerado culpado de quatro estupros e 46 agressões sexuais contra menores de idade, essencialmente meninas, além de posse de pornografia infantil.
O médico também foi condenado por incitar os pais a tocar em seus filhos. A pena é acompanhada pela expulsão definitiva do país quando sair da prisão.
Os crimes aconteceram entre 2015 e 2017 em vários centros médicos da Suécia, assim como através de um sistema de consulta pela internet.
Em consultas às vezes por problemas de saúde leves, Carretero convencia os pais das vítimas a permitir que examinasse os órgãos genitais das crianças.
Nas consultas à distância solicitava que eles mesmos fizessem isto, sem aparentemente nenhuma justificativa médica. Em várias ocasiões, o médico filmou os atos.
Carretero está preso desde dezembro 2017 e poderia ser condenado a até 14 anos de prisão.
Na decisão, o tribunal confirmou a acusação de estupro com circunstâncias agravantes, "levando em consideração o fato de que utilizava a posição de médico e abusava de uma confiança especial, assim como pela idade das crianças".

Escrito por:

AFP