Publicado 17/05/2019 - 12h53 - Atualizado 17/05/2019 - 12h53

Por Paulo Santana

Com desconforto muscular, Reginaldo é dúvida para o jogo: indefinição do time passa pela manutenção ou não do sistema com três zagueiros

Cedoc/RAC

Com desconforto muscular, Reginaldo é dúvida para o jogo: indefinição do time passa pela manutenção ou não do sistema com três zagueiros

Vivendo mais uma semana de pressão, ainda mais depois de ter entrado na zona de rebaixamento, o técnico Jorginho fez mistério e não confirmou a escalação da Ponte Preta para buscar a primeira vitória na Série B do Brasileiro, hoje, às 21h30, no Moisés Lucarelli, diante do Operário-PR, pela quarta rodada. Com dois pontos ganhos em nove disputados, a Macaca ocupa a 17ª posição, à frente apenas do América-MG, São Bento e Brasil-RS.
Como todas atividades da semana foram fechadas, o time é uma incógnita. Os meias Marquinhos e Marcondele e o atacante Dadá, contratados no início da semana, foram relacionados e podem estrear, assim como o meia Rafael Longuine, liberado para treinamentos há 10 dias.
Existe ainda a dúvida se o sistema com três zagueiros utilizado no empate sem gols com o Vila Nova será mantido ou se a Macaca voltará ao tradicional 4-4-2. Se mudar, além dos atletas recém-chegados, Jorginho tem os meias Alex Maranhão e Vinicius Zanocelo como opções para o setor. O zagueiro Reginaldo, com desconforto muscular, é dúvida.
Para o treinador, o momento é de cautela e união. "A gente precisar ganhar corpo na competição e não deve mudar muita coisa em relação ao último jogo. Perdemos jogadores importante e surgiu a necessidade de mudanças. Precisamos nos adaptar a essa nova realidade. Quanto mais puder dar continuidade, será melhor para a equipe", comentou o treinador.
Para o zagueiro Airton, a Macaca precisa tomar cuidado porque, apesar de ser pouco conhecido por aqui, o Operário é um clube em franca ascensão. Fundado em 1912, o time de Ponta Grossa saiu da terceira divisão paranaense para ser campeão estadual em 2015 e vem disputando a Copa do Brasil todos os anos. Em 2017, foi campeão da Série D e no ano passando venceu a Série C.
"Acredito que a conversa inicial deles seja para não cair, mas temos que tomar bastante cuidado nesses jogos. Temos de manter os dois tempos iguais em criação e regularidade. Achar o ponto de equilíbrio, que é o que mais o Jorginho tem pedido para a gente", conta Airton.
Com a intenção de contar com o incentivo do torcedor, a diretoria colocou ingressos à venda por R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). "Sei que a nossa situação não é boa, mas, com apoio, como sempre foi aqui na Ponte, vamos dar a volta por cima e pegar uma sequência boa. O torcedor está triste e a gente também. É hora de união" , completa Airton.
Tiago Real e Giovanni estão perto da rescisão
A Ponte Preta segue forte na reformulação do seu elenco e, durante a semana, o volante André Castro, que era um dos preferidos do técnico Jorginho, acabou deixando o clube por conta do salário considerado acima do ideal. Outros dois, o meia Tiago Real e o volante Giovanni, estão acertando os últimos detalhes para rescindir seus contratos pelo mesmo motivo.
Na contramão, o atacante Gabriel Lima, que pertencia ao Operário-MS e ganhou a liberação do vínculo por meio da Justiça Trabalhista, está acertando um novo acordo com a Macaca. Desta vez, com mais tempo e parte dos direitos revertidos em prol do time campineiro.
"A intenção do atleta, que também é a nossa, é que ele continue no clube. Estamos conversando para definir um novo vínculo que seja bom para as duas partes", disse Wesley Moura, empresário e representante da P4 Sports, empresa que cuida da carreira do atleta de 20 anos.
Gabriel entrou em campo pela primeira vez com a camisa da Macaca no segundo tempo do empate por 0 a 0, com o Vila Nova, em Goiânia, semana passada. Seria relacionado para o confronto de hoje com o Operário-PR, mas acabou ficando de fora por conta dessa mudança no seu registro na CBF.
A reformulação, iniciada há duas semanas, deve envolver oito nomes. Além de André Castro, Tiago Real e Giovanni, já deixaram o clube o lateral Luis Ricardo, os atacantes Júlio César, Renato Kayzer e Hugo Cabral. O meia Igor Henrique, que também saiu, está se transferindo para o Guarani.
FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA
Ivan; Airton, Renan Fonseca e Reginaldo (Henrique Trevisan); Arnaldo, Edson, Gerson Magrão, Matheus Vargas e Abner; Facundo Batista e Thales. Técnico: Jorginho.
OPERÁRIO
Simão Bertelli; Danilo Baía, Alisson, Juan Sosa e Rafael Peixoto; Chicão, Felipe Augusto, Índio e Marcelo; Uilliam e Bruno Batata. Técnico: Gerson Gusmão.
Local: Estádio Moisés Lucarelli. Horário: 21h30. Juiz: Vinicius Gomes do Amaral (RS).

Escrito por:

Paulo Santana

×