Publicado 13/05/2019 - 18h43 - Atualizado 13/05/2019 - 18h43

Por Carlos Rodrigues

A Ponte Preta de Jorginho não saiu do empate por 0 a 0 diante do Vila Nova

Álvaro Jr/ PontePress

A Ponte Preta de Jorginho não saiu do empate por 0 a 0 diante do Vila Nova

A Ponte Preta desperdiçou boa oportunidade de conquistar a primeira vitória na Série B do Brasileiro. Mesmo criando as principais chances e tendo um jogador a mais em parte do segundo tempo após a expulsão do meia Alan Mineiro, a Macaca não passou de um empate sem gols com o Vila Nova, na sexta-feira. Para o técnico Jorginho, a falta de eficiência na definição das jogadas pesou no resultado — foram nove finalizações, mas apenas uma em direção ao gol adversário.
"A gente deveria realmente ter matado o jogo no primeiro tempo. Teve o chute do Matheus Vargas que bateu na trave e outras situações em que tomamos decisões erradas. Não estamos satisfeitos. Com um a menos, deveríamos ter ganho esses três pontos", opinou o treinador, que surpreendeu ao escalar o time com três zagueiros em Goiânia e explicou essa opção. "Diante da perda que tivemos na semana, de quatro jogadores, mas principalmente dois titulares, tivemos dificuldades para montar a equipe. É uma formação diferente, em que fora de casa é mais possível de adotarmos", justificou.
Com apenas dois pontos somados em três jogos, a Ponte fica longe das primeiras posições e também dificulta a própria projeção de Jorginho, que imaginava o time com 16 pontos até a pausa da Copa América. O início ruim deixa o comandante em alerta, mas ele destaca os dois próximos jogos em casa, contra Operário e Paraná.
"O start é fundamental. A Ponte já sofreu com isso ano passado. Ficou tão defasado na pontuação no início, que nem com sete vitórias e um empate no final conseguiu o acesso. Não é preocupação, mas agora são dois jogos decisivos em casa".

Escrito por:

Carlos Rodrigues