Publicado 10/05/2019 - 12h00 - Atualizado 10/05/2019 - 12h00

Por Paulo Santana

Jorginho não revelou a escalação, mas ele deve fazer de quatro a cinco mudanças na equipe, que vem de derrota e empate nas primeiras rodadas

Wagner Souza/EC

Jorginho não revelou a escalação, mas ele deve fazer de quatro a cinco mudanças na equipe, que vem de derrota e empate nas primeiras rodadas

Após uma derrota fora de casa (Coritiba 2 a 0) e um empate no Moisés Lucarelli (1 a 1 contra o Criciúma) nas duas primeiras rodadas, a Ponte Preta fez um "realinhamento de rota". Agora, a meta é terminar a primeira parte da Série B, antes da pausa para a Copa América, não mais entre os quatro, mas entre os seis primeiros colocados. Em busca da primeira vitória, hoje, às 21h30, no Serra Dourada, em Goiânia, diante do Vila Nova, a Macaca aposta num recomeço.
O clube viveu uma semana de turbulência por conta do processo de reestruturação interna e terá mudanças em todos os setores da equipe. "Ainda estamos no início da competição. A gente não queria que fosse assim, mas aconteceu e nossa meta agora é reagir", disse o técnico Jorginho.
Para ele, apesar das saídas, o grupo dará uma resposta. "Nossa meta inicial era chegar aos 16 pontos até o final desta primeira etapa e ficar entre os quatro primeiros. Agora queremos estar entre os seis. É algo possível", destaca.
Durante toda a semana Jorginho comandou os treinamentos com portões fechados. "Num momento como este qualquer coisa pode ser motivo de polêmica. E isso é algo que a gente realmente não quer agora. Por isso, optamos por trabalhar com o espaço reservado somente para a gente. Mas o torcedor pode ficar tranquilo porque o nosso ambiente é de absoluta tranquilidade e entrega", garante o comandante.
Sabendo que não pode mais contar com os atacantes Renato Kayzer e Júlio César, que pediram demissão, e os volantes Luis Ricardo e Igor Henrique, que foram demitidos, o treinador foi buscar reforços no sub-20 e sub-23 da própria Macaca. Os volantes Gabriel Lima e Romão, promovidos, viajaram ontem com a delegação.
O lateral-direito Matheus Alexandre, que foi negociado com o Corinthians e ficou no Majestoso por empréstimo até novembro, e o meia Mateus Oliveira, reemprestado pelo Santos, também foram relacionados. Já o volante André Castro foi vetado em virtude de desgaste físico.
Apesar de liberado pelos médicos, o meia Rafael Longuine ficou em Campinas para ganhar ritmo. "Queira ou não, ele não participa de uma partida oficial desde novembro do ano passado. Isso faz muita diferença no momento de encarar uma partida de Série B" , justifica Jorginho.
Apesar do clima de mistério, a Macaca deverá ter de quatro a cinco mudanças na equipe. "Não vou falar nada", resumiu Jorginho, ao ser questionado sobre a formação da equipe. "É um trunfo que a gente tem."
Equipe não perde do Vila Nova há oito anos
Com os dois times precisando da vitória para espantar o fantasma da crise, a Ponte Preta tem a seu favor um tabu de oito anos sem derrota para o Vila Nova. A última foi em maio de 2011, por 3 a 1, no Serra Dourada, pela Série B. Desde então, foram duas vitórias e três empates da Macaca, que pode provocar a demissão de Eduardo Baptista em caso de novo tropeço do Tigre.
Velho conhecido do torcedor pontepretano, Baptista assumiu em fevereiro e conseguiu apenas três vitórias em 15 jogos, com sete empates e cinco derrotas. Um aproveitamento de apenas 35,5% dos pontos disputados. Essa situação se complicou ainda mais depois da eliminação na Copa do Brasil, no início da semana, em casa.
"Tenho 20 anos de carreira e já passei por tudo no futebol. Isso não vai me abalar de jeito nenhum. Vou continuar trabalhando e tenho certeza que vou dar a volta por cima", comentou o técnico.
Do lado da Macaca, quem entra em campo com moral é o lateral-esquerdo Abner. Elogiado pelas boas atuações, ele está na mira de clubes da Europa e agora é um dos titulares do time campineiro. "O Abner passa por um momento excepcional da carreira. Apesar de ser bastante jovem, está em alta", elogia o técnico Jorginho.
O atleta, de apenas 19 anos, assumiu a vaga de Diego Renan na rodada passada e quer seguir firme na posição. "É importante esta oportunidade e quero melhorar sempre. Somos um grupo unido e com o mesmo objetivo. Tenho certeza que as coisas vão se encaixar", comentou o jovem atleta.
FICHA TÉCNICA
VILA NOVA
Rafael Santos; Philipe Maia, Patrick, Hélder e Felipe Rodrigues; Neto Moura, Joseph, Alan Mineiro e Gustavo Mosquito, Rafael Capixaba e Rafael Silva. Técnico: Eduardo Baptista.
PONTE PRETA
Ivan; Matheus Alexandre, Airton, Reginaldo e Abner; Nathan, Gerson Magrão, Mateus Oliveira e Matheus Vargas; Facundo Batista e Thalles. Técnico: Jorginho.
Local: Serra Dourada. Horário: 21h30 (Sportv). Juiz: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG).

Escrito por:

Paulo Santana