Publicado 10/05/2019 - 11h51 - Atualizado 10/05/2019 - 11h51

Por Carlos Rodrigues

Seca de gols já preocupa o Guarani na Série B

Divulgação/Guarani FC

Seca de gols já preocupa o Guarani na Série B

Uma das preocupações da comissão técnica do Guarani nesse início de Série B do Brasileiro é o rendimento do setor ofensivo. Após duas rodadas, o Guarani é, ao lado de América-MG e Brasil de Pelotas, uma das equipes que ainda não conseguiu balançar as redes. Para acabar logo com essa seca, o aprimoramento das finalizações tem sido um dos aspectos mais trabalhados e cobrados pelo técnico Vinícius Eutrópio nos dias que antecedem a partida contra o Vitória, na segunda-feira, no Brinco de Ouro.
No total, nos jogos contra Figueirense e Oeste, o Bugre somou 25 finalizações, sendo nove certas e 16 erradas. No entanto, um dado curioso é que, desse número de conclusões, nove foram de dentro da área adversária, enquanto 16 chutes foram de média ou longa distância. Ou seja, o time mais arrisca do que propriamente consegue articular as jogadas. Na estreia, o time teve 12 tentativas, mas parou em boas defesas do goleiro Denis. Já na segunda rodada, contra o Oeste, foram 13 finalizações e a melhor chance nos pés de Diego Cardoso, que cobrou pênalti para fora.
O centroavante, aliás, é de quem mais se espera rendimento nesse sentido, mas o artilheiro bugrino na temporada, com nove gols, teve apenas duas tentativas nos dois jogos. Quem lidera o ranking de finalizações na equipe é o lateral-esquerdo Inácio, com seis chutes, seguido pelos meias Felipe Amorim (5) e Arthur Rezende (4).
"O atacante vive de gols e, se não faz gol, em algum momento ele começa a se questionar e vem a falta de confiança. E se vem a falta de confiança, pior ainda porque faz as finalizações que não são as melhores", comenta Eutrópio. "Nosso time tem certa facilidade para criar, nos dois jogos foram várias finalizações, mas nenhum gol e precisamos ajustar isso com muito trabalho de finalização, cruzamento e ações ofensivas para transformar nossas chances em gols", acrescenta o treinador, que dedicou uma parte da sessão do treinamento ontem justamente para isso.
O meia Mateusinho reforça a importância desses treinamentos específicos, mas acredita que no próximo jogo o time vai conseguiu colocar em prática o que foi trabalhado. "Estamos trabalhando forte em cima da finalização. O professor pede pra gente acertar no acabamento da jogada. Acredito que na segunda-feira tudo isso vai mudar e a bola vai começar a entrar".

Escrito por:

Carlos Rodrigues