Publicado 05/05/2019 - 18h23 - Atualizado // - h

Por Estadão Conteúdo

O empate tira os 100% de aproveitamento do Santos na competição, mas não apaga o bom começo da equipe

Divulgação/ Santos

O empate tira os 100% de aproveitamento do Santos na competição, mas não apaga o bom começo da equipe

Igualar a sua melhor arrancada na era dos pontos corridos no Campeonato Brasileiro era a meta do Santos neste domingo. No entanto, depois de triunfar nas duas primeiras rodadas, o time paulista não repetiu as duas atuações anteriores e ficou no empate sem gols com o CSA, no Rei Pelé, em Maceió, em duelo da terceira rodada.

O empate tira os 100% de aproveitamento do Santos na competição, mas não apaga o bom começo da equipe. O time do técnico Jorge Sampaoli está com sete pontos e ocupa o quarto lugar, atrás de São Paulo, Palmeiras e Atlético-MG, este o único a vencer nas três primeiras rodadas.

O CSA, por outro lado, segue sem vencer no seu retorno à elite do futebol brasileiro. Foi goleado na estreia pelo Ceará e segurou dois empates na sequência, com o Palmeiras e, agora, o Santos. Com isso, soma dois pontos e aparece na parte de baixo da tabela.

Acostumado a encurralar os seus adversários, como fez nos dois primeiros jogos do Brasileirão, o Santos dominou o CSA em boa parte do jogo, mas careceu de objetividade. Trocou muitos passes - mais de 500 -, mas não foi incisivo. A chance mais clara de gol, aliás, foi da equipe alagoana, que só não saiu vencedora de campo pois Victor Paraíba perdeu uma oportunidade incrível no final da partida.

O JOGO - O primeiro tempo foi emperrado. O Santos cansou de trocar passes, chegou a ter 70% de posse de bola, mas não foi objetivo. O time alvinegro ficou perto de marcar com Jorge nos minutos finais da etapa inicial, em arremate de esquerda que tocou na trave.

A etapa final foi muito mais movimentada. Muito pela mudança de postura não só dos santistas, mas também do CSA, que deixou de apenas se defender e saiu para o jogo, dando, assim, mais espaço para os comandados de Jorge Sampaoli.

O treinador argentino desmanchou o esquema com três zagueiros e colocou Jean Mota na vaga de Lucas Veríssimo, além de ter apostado em Soteldo, que substituiu Cueva. A partir daí, os visitantes melhoraram e tiveram, mesmo que um pouco, a intensidade e o volume de jogo que estão acostumados a mostrar.

Jean Lucas e Jean Mota assustaram em chutes de fora da área defendidos por Jordi, Rodrygo perdeu uma chance dentro da área, e Soteldo chegou perto de marcar em finalização que passou rente à trave direita. Mas foi a equipe de Alagoas que teve a melhor oportunidade para marcar com Victor Paraíba. O meia recebeu linda assistência de Didira, driblou Vanderlei, mas incrivelmente chutou para fora com o gol aberto e o placar permaneceu zerado.

Na rodada seguinte do Campeonato Brasileiro, a quarta, o Santos encara o Vasco no próximo domingo, às 16 horas, no estádio do Pacaembu, em São Paulo. No mesmo dia, mas às 19 horas, o CSA vai à Ressacada enfrentar o Avaí.

FICHA TÉCNICA:

CSA 0 x 0 SANTOS

CSA - Jordi; Apodi, Gerson, Luciano Castán e Carlinhos (Armero); Bruno Ramires (Dawhan), Naldo (Victor Paraíba), Didira, Matheus Savio e Madson; Cassiano. Técnico: Marcelo Cabo.

SANTOS - Vanderlei; Felipe Aguilar, Lucas Veríssimo (Jean Mota) e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas, Cueva (Soteldo) e Jorge; Rodrygo e Eduardo Sasha (Derlis González). Técnico: Jorge Sampaoli.

CARTÕES AMARELOS - Bruno Ramires (CSA); Jorge, Gustavo Henrique e Soteldo e Derlis González (Santos).

ÁRBITRO - Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR).

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).


Escrito por:

Estadão Conteúdo