Publicado 02/05/2019 - 07h37 - Atualizado 02/05/2019 - 07h55

Por Paulo Santana

O técnico Jorginho pede que a torcida pontepretana abrace o time nas partidas em casa nesta Série B do Brasileiro:

Cedoc/RAC

O técnico Jorginho pede que a torcida pontepretana abrace o time nas partidas em casa nesta Série B do Brasileiro: "Precisamos de apoio"

Em busca da primeira vitória na Série B do Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta defende um tabu histórico diante do Criciúma, hoje, às 21h, no Estádio Moisés Lucarelli. Em 35 anos de confrontos com o clube catarinense, a Macaca nunca foi derrotada em Campinas.
De 1984 para cá, foram oito jogos no Majestoso, com seis vitórias pontepretanas e apenas dois empates. Foram 17 gols marcados e seis sofridos. No geral, os times se encontraram 17 vezes, com 11 vitórias da Ponte, quatro empates e apenas dois resultados positivos para o Tigre.
Mesmo assim, o volante Igor Henrique, que pode aparecer entre os titulares, prega respeito ao adversário, que é dirigido por Gilson Kleina, técnico com história dentro da Ponte. "Vamos enfrentar uma equipe difícil que vem em busca de pontos em nossa casa. Temos que ter intensidade e inteligência para conquistarmos os três pontos", disse. "Vamos evoluir nesta sequência da Série B porque só depende da gente. Temos que continuar trabalhando firme para crescer de produção", completa, tranquilizando o torcedor.
Para o técnico Jorginho, a meta de chegar a 16 pontos até a pausa para a Copa América passa por um resultado positivo hoje. "Perdemos na estreia e não queríamos isso. Mas foi apenas um jogo. Temos muita coisa pela frente e vamos em busca do nosso objetivo", afirmou.
Segundo Jorginho, o torcedor precisa abraçar o time. "É importante nosso torcedor entender que a Série B é muito difícil e muda muito rápido. Precisamos do seu apoio. Nas partidas em casa precisamos mostrar a força da nossa torcida. É preciso que o torcedor abrace o time para caminharmos juntos", relatou.
Depois do jogo de hoje, a Macaca ainda terá pela frente o Vila Nova (fora de casa), Operário-PR (casa), Paraná (casa), Cuiabá (fora), Botafogo-SP (casa) e Londrina (fora). Na sequência, haverá uma parada de quase um mês para o torneio continental de seleções, quando o clube poderá fazer uma reavaliação do elenco.
O pouco espaço de tempo entre um jogo e outro atrapalhou a recuperação dos atletas. Assim, Edson e Giovanni seguem fora. A tendência é que a Macaca entre em campo com uma escalação bem parecida com a da rodada inicial.
No treino de ontem, Jorginho observou o atacante Facundo Batista na vaga de Thalles, que perdeu o segundo pênalti consecutivo na temporada, e também Abner atuando pela lateral-esquerda no lugar de Diego Renan. Já Igor Henrique pode aparecer na vaga de Nathan. O meia Rafael Longuine segue em transição física e não tem possibilidade de estrear.
Derrotado, Carnielli agora é da oposição
Vinte e dois anos, sete meses e vinte e um dias. Esse foi o período da liderança inquestionável de Sergio Carnielli na Ponte Preta. Desde a última terça-feira, data da reunião que aprovou as contas da diretoria executiva relativas a 2018, o "eterno" presidente de honra trocou de lado. Agora, faz parte da oposição ao atual presidente José Armando Abdalla Junior.
Dos 74 conselheiros presentes na reunião, 43,2% (32) votaram contrários à peça apresentada por Abdalla. Entre os contrários, estavam além de Sergio Carnielli, o ex-presidente Vanderlei Preira e até Sebastião Arcanjo, o Tiãozinho, que faz parte da diretoria atual.
As contas foram aprovadas com 51,4% (38) dos votos válidos e 5,4% (4) optaram pela abstenção ou não votaram. A favor, estão os chamados "pontepretanos históricos" : Marcos Garcia Costa, Nivaldo Baldo, Peri Chaib e Zaiman de Brito Franco, entre outros.
A diretoria da Ponte Preta destacou que a prioridade agora é preparar a defesa de ações trabalhistas de atletas que entraram na Justiça recentemente por conta de dívidas contraídas durante a gestão de Vanderlei Pereira.
FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA
Ivan; Arnaldo, Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan (Abner); Nathan , Gerson Magrão e Matheus Vargas; Júlio César, Renato Kayzer e Thalles (Facundo Batista). Técnico: Jorginho.
CRICIÚMA
Paulo Gianeizini; Maicon, Léo Santos, Sandro e Caíque; Adilson Goiano, Eduardo, Wesley e Daniel Costa; Vinícius e Lúcio Flávio. Técnico: Gilson Kleina.
Local: Estádio Moisés Lucarelli. Horário: 21h. Juiz: Marielson Alves Silva (BA).

Escrito por:

Paulo Santana