Publicado 01/05/2019 - 18h50 - Atualizado 01/05/2019 - 18h50

Por France Press

Barcelona's Argentinian forward Lionel Messi celebrates after scoring his team's third goal during the UEFA Champions League semi-final first leg football match between Barcelona and Liverpool at the Camp Nou Stadium in Barcelona on May 1, 2019. (Photo by JAVIER SORIANO / AFP)

Javier Soriano / AFPA

Barcelona's Argentinian forward Lionel Messi celebrates after scoring his team's third goal during the UEFA Champions League semi-final first leg football match between Barcelona and Liverpool at the Camp Nou Stadium in Barcelona on May 1, 2019. (Photo by JAVIER SORIANO / AFP)

O Barcelona, graças a sua eficiência e um Lionel Messi inspirado, fez valer o mando de campo e venceu por 3 a 0 o Liverpool no Camp Nou, nesta quarta-feira no jogo de ida das semifinais da Liga dos Campeões, abrindo enorme vantagem para garantir uma vaga na final.
O clube catalão, que sonha conquistar a 'Tríplice Coroa' (Liga-Copa-Champions), se viu pressionado pelo Liverpool praticamente o jogo todo, mas o talento de Luis Suárez, que abriu o placar (26 min), e principalmente Messi, autor de dois gol (75, 82), o segundo numa magistral cobrança de falta, foi suficiente para colocar um pé do Barça na decisão continental.
O feito de Messi e companhia foi, de fato, impressionante, já que o Liverpool chegou ao Camp Nou defendendo uma invencibilidade de 19 jogos em todas as competições e uma sequência de 10 vitórias consecutivas.
O placar foi elástico e o resultado sonoro, mas o que se viu dentro de campo foi um Liverpool dominante com a bola no pé e, desde o apito inicial, ficou claro o respeito de Valverde pelo Liverpool do colega Jurgen Klopp, finalista da Champions na temporada passada.
Blitz inglesa
Sabendo da qualidade individual e da velocidade nos contra-ataques dos ingleses, o Barça entrou em campo com uma postura diferente, armando duas linhas de quatro jogadores na defesa, dando a bola ao adversário e atacando os espaços. Algo raro para um time acostumado a controlar o jogo com a posse de bola.
Nos primeiros 10 minutos de jogo, o Liverpool aceitou o convite catalão e tomou conta do jogo, com Salah infernizando a vida de Lenglet e Alba pela direita.
O domínio inglês, porém, não se converteu em gol e o Barça foi gostando do jogo, encontrando espaços para contra-atacar.
Na primeira boa chegada ao gol de Alisson, Alba cruzou rasteiro da ponta esquerda para Messi, que tentou finalizar da marca do pênalti, mas foi travado na hora certa por Van Dijk (14 min).
Já no segundo ataque perigoso, o Barça abriu o placar, novamente com Alba apoiand pela esquerda e cruzando rasteiro. Desta vez, Suárez surpreendeu a zaga do Liverpool em velocidade e marcou em seu ex-clube com um carrinho.
O gol animou o Barça e a torcida catalã, que inflamou o Camp Nou e ajudou o time a seguir pressionando em busca de uma vantagem ainda maior.
Assim, os papéis se inverteram e foi a vez do Liverpool levar perigo na velocidade, criando sua melhor chance de marcar no primeiro tempo com Mané, que apareceu livre atrás da zaga do Barça, ficou cara a cara com Ter Stegen, mas chutou para fora (34).
Show de Messi
Na volta do intervalo, a partida retomou o panorama do início do jogo: Liverpool com a bola, Barça esperando o contragolpe. A diferença é que os ingleses se mostraram bem mais perigosos que no primeiro tempo.
No primeiro lance, Salah fez bela jogada e rolou para Wijnaldum, que ajeitou para Milner soltar a bomba. Ter Stegen voou para defender.
Cinco minutos depois, o goleirão alemão apareceu novamente para salvar o Barça, desta vez em chute colocado de Salah da entrada da área.
A partida continuou com grande volume de jogo do Liverpool e o Barça se defendendo como podia. Isso até os comandados de Klopp começarem a apresentar sinais de cansaço. Quando o Liverpool abaixou o ritmo, Messi aproveitou para tomar conta do jogo.
Distribuindo passes e acumulando dribles, o gênio argentino comandou contra-ataques perigosos do Barcelona e garantiu uma enorme vantagem para seu time.
Após acertar lindo lançamento para Suárez, que tentou encobrir Alisson com uma finalização de coxa, Messi apareceu na área, aproveitou o rebote do travessão e empurrou a bola para as redes.
Em seguida, Messi acertou uma cobrança monumental de falta, colocando a bola no ângulo do goleiro brasileiro do Liverpool, que voou, mas nada encontrou.
No último lance do jogo, o generoso argentino ainda encontrou tempo de deixar na cara do gol Dembélé, que entrou no lugar de Coutinho, mas o francês chutou em cima de Alisson e desperdiçou a chance de transformar a bela vitória catalã em goleada.

Escrito por:

France Press