Publicado 07/05/2019 - 14h22 - Atualizado 07/05/2019 - 14h22

Por Marcelo Knobel


Em 2020 deverá ser realizado o Censo Demográfico, que ocorre a cada dez anos no país. Ao contrário do que muitos pensam, o Censo não é só contar pessoas. Além da contagem, diversas informações são colhidas durante este processo, que são fundamentais para estudar e acompanhar a evolução da sociedade, e permitem a realização de inúmeras pesquisas nacionais e internacionais. O Censo é fundamental para a elaboração de políticas públicas no país, e podermos verificar em que sentido estamos caminhando.
Como se pode imaginar, realizar um Censo em um país do tamanho do Brasil não é fácil. Exige uma logística complicada, e é, obviamente, relativamente caro. Insisto no “relativamente”, pois se depois formos considerar todos os benefícios que ele proporciona, esse custo é muito bem investido em pesquisa para o próprio desenvolvimento do país.
Infelizmente, o governo federal anunciou recentemente um corte significativo no orçamento para o Censo 2020, o que prejudicaria sensivelmente a aplicação do mesmo. Essa notícia passou um tanto quanto despercebida, na enxurrada de acontecimentos e turbulências que assolam o país e o mundo. Mas é importante destacar esta questão, e pressionar o governo para recuperar um orçamento que permita a realização de um Censo Demográfico nas dimensões que o Brasil precisa e merece.
Nesse sentido, o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP), que presido desde 01 de abril de 2019, lançou uma nota, que reproduzo abaixo:
O CRUESP e a Importância do Censo Demográfico 2020
As políticas públicas para a população brasileira, orientadas para suas condições de acesso à educação, saúde, previdência, trabalho, transporte, renda, serviços públicos, habitação, lazer e cultura, considerando suas características quanto a grupo social, raça/cor/etnia, sexo e composição familiar e distribuição e segregação espacial, utilizam e dependem sistematicamente das informações dos Censos Demográficos. Vale ainda lembrar que, especialmente nas universidades, as informações por eles produzidas suportam um amplo leque de pesquisas nas diversas áreas de conhecimento.
É fundamental considerar que, dada sua periodicidade decenal, o Censo Demográfico é uma oportunidade única no processo de levantamento de informações que balizarão as políticas públicas gestadas no diferentes níveis administrativos. Nesse momento, o conhecimento sobre a realidade socioeconômica e demográfica dos municípios brasileiros depende da execução do Censo 2020, transformando-o na única fonte possível para alcançar esse objetivo.
Deste modo, o caráter universal e o nível de agregação espacial característicos do Censo Demográfico lhe imputa uma característica única e insubstituível, sobretudo em países como o Brasil, onde, infelizmente, ainda não se pode contar com fontes alternativas de dados, em particular, registros administrativos de qualidade. O Censo Demográfico é, portanto, um instrumento fundamental e imprescindível para informar e conduzir as políticas públicas no Brasil.
Mesmo reconhecendo as atuais restrições orçamentárias vividas pelo país, é essencial que o Governo Federal garanta os recursos adequados para a execução do Censo Demográfico 2020 abrangente e com qualidade, sob pena de se perder a grande e única oportunidade para melhor se conhecer a realidade das condições de vida e reprodução da população brasileira.
Deste modo, o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas: (a) reitera a necessidade da realização de um Censo Demográfico que contemple amplamente as dimensões demográficas e socioeconômicas da população brasileira, garantindo assim adequada condução das políticas públicas brasileiras para a próxima década; e (b) conclama o Governo Federal, mesmo considerando as significativas restrições orçamentárias atuais, a garantir os recursos necessários para a realização do levantamento, dada a sua importância para o desenvolvimento futuro do país.
Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas
Campinas, 03 de maio de 2019

Escrito por:

Marcelo Knobel