Publicado 16/05/2019 - 10h02 - Atualizado 16/05/2019 - 10h02

Por Da Agência Anhanguera

Documentos de Elizaman Lopes na secretaria foram apreendidos

Cedoc/RAC

Documentos de Elizaman Lopes na secretaria foram apreendidos

A Polícia Civil prendeu ontem o secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Paulínia, Elizaman de Jesus Lopes, conhecido como Carioca. Ele é suspeito de vender intermediação de vagas de trabalho junto a cooperativas da região de Paulínia e de Cosmópolis.
Na prática, ele estaria cobrando para identificar as vagas abertas e oferecer aos trabalhadores em busca de uma colocação, mediante pagamento de um pedágio. Ontem mesmo, o secretário foi exonerado do cargo pelo prefeito em exercício de Paulínia, Antônio Miguel Ferrari (DC) — o Loira. No meio da tarde, a Polícia Civil realizou buscas e fez apreensões de documentos na sede da secretaria.
A Prefeitura de Paulínia se pronunciou sobre o assunto por meio de nota oficial. “Elizaman Lopes de Jesus está sendo afastado do cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico, na tarde desta quarta-feira (15/05), até que o assunto seja devidamente solucionado”, diz a nota oficial.
O Executivo informou ainda que está tomando conhecimento das circunstâncias da prisão e os motivos que levaram à ação da polícia, mas antecipou que vai abrir uma sindicância interna para apurar os fatos.
“A Prefeitura informa ainda que está colaborando com as apurações da Polícia Civil e Ministério Público, além de estar disponível para esclarecer quaisquer questionamentos sobre o assunto, para as autoridades competentes”, finaliza a nota.
Carioca era ligado ao vereador Tiguila Paes (PPS) e teria sido indicado ao cargo por ele. O parlamentar, no entanto, nega que tenha feito a indicação. “A gente está distante já faz um bom tempo”, diz. “ Não tenho nada a ver com isso”, acrescenta. Tiguila, no entanto, afirmou que a prisão não tem relação com a atividade de Carioca como secretário. “Parece que tem a ver com as cooperativas de emprego”, finaliza.
Loira assumiu o cargo de prefeito no final de janeiro deste ano, depois de uma longa batalha judicial e trocou praticamente todo o secretariado. Ele substituiu o ex-presidente da Câmara, Du Cazellato (PSDB), que estava no cargo por conta da vacância ocorrida em novembro passado, em razão da cassação do então prefeito Dixon Carvalho (PP) e do vice Sandro Caprino (PRB), por crime eleitoral.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera