Publicado 12/05/2019 - 14h51 - Atualizado 12/05/2019 - 14h51

Por Da Agência Anhanguera

Viaturas policiais na casa onde a jovem Thaís Ribeiro foi assassinada: Campinas já teve quatro casos de feminicídio desde janeiro

Luciano Claudino/Estadão Conteúdo

Viaturas policiais na casa onde a jovem Thaís Ribeiro foi assassinada: Campinas já teve quatro casos de feminicídio desde janeiro

A sétima vítima de feminicídio na Região Metropolitana de Campinas (RMC) em 2019 será enterrada hoje, às 8h30, no Cemitério dos Amarais, em Campinas. Thaís Fernanda Ribeiro, de 21 anos, morreu na tarde de sexta-feira, depois de ser baleada pelo ex-namorado por volta das 16h30, em uma área de ocupação, na região do Techno Park, nas proximidades do CDHU San Martin. Esse é o quarto caso registrado no município. Os outros três aconteceram em Cosmópolis, Pedreira e Sumaré.
Thaís Fernanda Ribeiro, de 21 anos, morreu na tarde de sexta-feira, depois de ser baleada pelo ex-namorado
A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou, em nota, que o acusado, 23 anos, foi preso na madrugada de ontem, em Santo André, no ABC Paulista, a cerca de 110 km de Campinas. De acordo com a pasta, o jovem se apresentou voluntariamente em uma base da Polícia Militar. Em seguida, foi encaminhado ao 1º Distrito Policial de Campinas e indiciado pelo crime de feminicídio.
Segundo apurado, o relacionamento do casal terminou recentemente. Vizinhos do imóvel na Rua Elza Monnerat, onde o crime aconteceu, relataram que o acusado levou Thaís para sua casa durante a tarde. Ao todo, de acordo com as testemunhas, foram efetuados 11 disparos contra a vítima. Para tentar abafar o som dos tiros, o indivíduo teria aumentado o volume de um som da residência no máximo. Thaís residia com familiares no Jardim São Marcos. Na última quinta-feira, a moça completou 21 anos.
Amigos e familiares se manifestaram por meio das redes sociais. Eliana Frosini, que também reside em Campinas, escreveu no Facebook que não há mais espaço para homens machistas, covardes e traiçoeiros, que agem pelas costas sem sequer dar o direito de defesa. “Aonde está escrito que o homem obtém a posse da mulher, quando ela assume um compromisso com ele?”, questionou na publicação. “Até quando as mulheres serão vítimas dessa crueldade?”, comentou Gislaine Sidney Dantas Pimentel.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera