Publicado 11/05/2019 - 13h38 - Atualizado 11/05/2019 - 13h38

Por Da Agência Anhanguera

Católicos pedem afastamento de dom Vilson

Wagner Souza/Código 19

Católicos pedem afastamento de dom Vilson

Aproximadamente 100 católicos protestaram na manhã deste sábado (11), nas escadarias da Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua, em Americana. Os fiéis vestiram preto e exibiram cartazes acusando o bispo dom Vilson Dias de Oliveira, da Diocese de Limeira, de corrupção. Os fiéis pediram o seu afastamento imediato, pois segundo os manifestantes, ele está "envergonhando a Igreja Católica". O ato aconteceu de forma pacífica e nenhum incidente foi registrado.
Dom Vilson é acusado de apropriação indébita, extorsão e acobertar crimes de assédio sexual que supostamente foram cometidos pelo padre Pedro Leandro Ricardo, ex-reitor da Basília, que também é alvo das apurações. Na última quarta-feira, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou, em nota, que a Polícia Civil solicitou pela segunda vez a prorrogação do prazo para conclusão do inquérito que investiga os eclesiásticos. A pasta, entretanto, não divulgou mais informações pois o caso corre em segredo de Justiça.
Católicos pedem afastamento de dom Vilson
O Ministério Público Estadual (MP-SP) e a Segunda Vara Criminal de Americana irão decidir se cabe ou não prorrogação e por quando tempo. O inquérito foi instaurado em 31 de janeiro deste ano. Segundo o Código de Processo Penal (CPP), a Justiça precisa permitir que as averiguações continuem, quando a investigação ultrapassa o período de 30 adias. Denúncias apontam que dom Vilson Dias de Oliveira pediu cerca de R$ 50 mil para uso particular. Padre Pedro Leandro Ricardo, por sua vez, é acusado de ter abusado sexualmente de quatro ex-coroinhas, entre 2002 e 2003, período em que as vítimas ainda eram menores de idade. De acordo com os relatos, o religioso ofertava presentes como contrapartida pelo silêncio dos então adolescentes.
Ao todo, dom Vilson aparece em três inquéritos diferentes: um na Delegacia Seccional de Piracicaba, posteriormente transferido para a unidade policial de Americana e outros dois, nas cidades de Araras e Limeira. A polícia já confirmou, por meio de documentos cedidos pelo próprio dom Vilson, que nos últimos quatro anos o suspeito adquiriu dois imóveis que totalizam mais de R$ 1 milhão, situados no litoral Sul do Estado. Vilson alegou que o patrimônio foi comprado de forma lícita. Ele nega ter cometido extorsão, mas cita que recebeu doações em momentos específicos, nos quais passava por dificuldades financeiras. Em ambos os casos, os dois acusados são alvo de apurações também pelo Vaticano. Um bispo brasileiro foi incumbido pela Igreja Católica de realizar as oitivas.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera